Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Empresário de Dagoberto: ‘Se não renovar, a culpa é do Juvenal’

Por Da Redação 12 out 2011, 22h49

Entre as dificuldades na tentativa de renovar o contrato de Dagoberto, Juvenal Juvêncio citou Marcos Malaquias, empresário do atacante, como uma pessoa complicada e que ‘quer ganhar mais do que merece’. A menção irritou o agente, que não só negou buscar lucro com a negociação, mas retrucou acusando o presidente de uma omissão que deixa o jogador mais longe do São Paulo.

‘Meu caro presidente, a verdade é uma só… Se o Dago não renovar com o São Paulo Futebol Clube a culpa é somente sua porque, se o Adalberto [Baptista, diretor de futebol] estivesse desde o começo, já teríamos acordado! A culpa é sua. Saiba assumir e não fuja das suas responsabilidades! Complicado é você por não ter valorizado o jogador e nem sequer atendido!’, escreveu Malaquias em seu Twitter.

O empresário demonstrou indignação pelo problema para ter contato com o dirigente. Juvenal avisou que teria uma ‘prosa curta e grossa’ em sua primeira conversa com Dagoberto sobre o seu contrato, que acaba em 18 de abril. O camisa 25, por sua vez, disse que tentou em vão negociar com o presidente no ano passado e afirmou que, se conseguisse mesmo um papo por telefone, o vínculo já estaria ampliado.

‘Há mais de dois anos tento falar com você sobre o Dagoberto, porém, sem êxito! Nunca ganhei um centavo para trazer o Dagoberto para o São Paulo Futebol Clube e nunca pedi um centavo para o senhor ou qualquer dirigente para o Dago vir ou ficar! Nunca ganhei um centavo seu e nunca pedi nada em meu favor ou em nome do Dago!’, chiou Malaquias.

De acordo com o agente, o mandatário não foi útil mesmo durante o imbróglio que tirou o atacante do Atlético-PR em 2007, quando o São Paulo depositou em juízo R$ 5,4 milhões para ter o jogador. ‘Ficamos sozinhos até hoje na briga contra o Clube Atlético Paranaense e nem sequer o retorno de suas ligações eu tive! Você não valorizou o Dago! Você não reconheceu a ‘briga’ que enfrentei para levá-lo ao São Paulo Futebol Clube, um clube que ele gosta e respeita!’, afirmou Malaquias.

A preocupação do empresário é não ser considerado vilão na história, papel que, na sua opinião, é de Juvenal. ‘Caro presidente, não jogue a responsabilidade em cima de mim sobre um assunto que você não deu importância e só agora quer resolver! Sou uma pessoa acessível a todos e sempre disposto a conversar, mas não posso aceitar injustiça e inverdade!’, justificou-se.

‘Porque só agora o senhor se manifesta? O senhor me conhece para dizer que ?quero muito dinheiro’? Nunca te pedi nada, somente que renovasse o contrato! Não jogue a culpa em cima de pessoas que, como eu, só estão defendendo os interesses do Dago como faço! Quer goste ou não, esse é meu trabalho!’, continuou Malaquias.

A troca de acusações confirma que Dagoberto realmente não deve permanecer no Morumbi. A partir da próxima quarta-feira, ele pode assinar pré-contrato com qualquer clube sem o Tricolor receber nada. ‘A vida segue. E espero que tudo acabe bem! Durmo toda a noite tranquilo. Sou um ser humano que erra e aprende todos os dias!’, encerrou Malaquias em seu desabafo virtual.

Continua após a publicidade

Publicidade