Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Emocionado, Vágner Love promete fazer história no Fla

Por Leonardo Maia

Rio – Apresentado com festa pelo Flamengo nesta sexta-feira, o atacante Vágner Love fez juras de amor ao clube e chorou quando recebeu a camisa de número 99 das mãos da presidente Patrícia Amorim. Tratado como ídolo, ele declarou que espera conquistar títulos relevantes, como a Libertadores, na sua segunda passagem pelo clube para entrar na história.

“Eu quero entrar na história do clube e vou entrar. Quero conquistar títulos importantes. Agora é só Love, só Love e esse ano é do Mengão”, prometeu o atacante. “Chegou a hora do Flamengo ser campeão da Libertadores de novo. Em 2010, ficamos perto [foi eliminado nas quartas de final]. Quarta-feira vai ter o jogo de volta [contra o Real Potosí] e tenho certeza que vamos classificar [para a fase de grupos]”, completou.

Para ajudar o Flamengo a ser campeão em 2012, Vágner Love aposta na parceria com o Ronaldinho Gaúcho. “Espero fazer parceria não só com o Ronaldinho, mas com todos que estão no Flamengo. Vim fazer o meu melhor. A parceria com o Ronaldinho vai dar certo. Muitos questionavam se a parceria com o Adriano poderia dar certo e deu”, disse.

“Não tenho problema de jogar como homem de referência. Agora tem um craque para dar a bola. A capacidade de raciocínio dele é fora do normal”, afirmou.

Apesar dos elogios de Vágner Love ao amigo, Ronaldinho Gaúcho não apareceu na Gávea, como era esperado, para acompanhar a apresentação do novo reforço do Flamengo, que foi rápida e com menos público do que se esperava – apenas cerca de 400 torcedores acompanharam a chega do atacante.

A saída de Thiago Neves, que se transferiu para o rival Fluminense, não foi esquecida pelos torcedores, que hostilizaram, através de cânticos, o meia. Além disso, pedirama contratação do atacante Adriano, que está no Corinthians e formou dupla de ataque do Vágner Love no primeiro semestre de 2010.

Além de ajudar o Flamengo dentro de campo. Vágner Love tentará acabar com o clima pesado no clube, com desentendimento público entre Ronaldinho Gaúcho e o técnico Vanderlei Luxemburgo, atrasos salariais e problemas de relacionamento no elenco. O atacante, porém, tentou minimizar a situação turbulenta. “O elenco está ótimo, com o mesmo clima de 2010. Todos estão unidos e eu chego para ajudar”.

Vágner Love garantiu que está em forma e acredita que poderá estrear pelo Flamengo em até duas semanas. “Eu já vinha treinando com um personal desde o dia 4. Estou há uma semana sem treinar por causa das viagens. Para o jogo do dia 10 ou 15 vou estar pronto para jogar”, disse.

O atacante chegou ao Flamengo no primeiro semestre de 2010 e conquistou rapidamente o carinho da torcida. Em apenas seis meses no clube, foi campeão estadual e artilheiro do Campeonato Carioca. Na sua primeira passagem, a equipe vinha da conquista do título do Campeonato Brasileiro e tinha um elenco experiente. Agora, várias promessas das categorias de base têm sido promovidas e o atacante promete ajudá-las.

“A gente tinha uma boa equipe, como temos hoje. A única diferença que eu vejo é que aquele time era mais experiente. Hoje está mais mesclado. Vai dar certo”, disse. “Eu já tive 19 anos. Recebia muita ajuda do [ex-goleiro] Marcos [no Palmeiras] e de outros jogadores. Me sinto como um garoto ainda, mas no que puder ajudar essa garotada, vou ajudar o Flamengo”.

Na apresentação, a presidente Patrícia Amorim tratou Vágner Love como a única unanimidade do Flamengo e exaltou as contratações de impacto feitas na sua gestão. “O Flamengo não tem nenhuma unanimidade. Só você é unanimidade”, disse a dirigente. “Estou muito feliz de ser a presidente que trouxe o Ronaldinho em 2011 e o Love em 2012”.

Vágner Love teve a sua contratação oficializada pelo Flamengo na quarta-feira, quando o clube conseguiu adquiri-lo junto ao CSKA Moscou, da Rússia. O jogador assinou contrato até dezembro de 2014. Emocionado, declarou amor ao clube e garantiu que não deseja sair tão cedo.

“Vestir essa camisa tem que gostar, tem que amar. E eu amo esse clube. Tenho mais quatro, cinco anos, não sei quantos anos eu vou ficar aqui, mas se puder, eu gostaria de morrer aqui. Já estive na arquibancada, sei qual é o sentimento do torcedor”, declarou.