Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Emocionado, Kardec destaca aprendizado em despedida do Santos

Durante os últimos 12 meses, o atacante Alan Kardec esteve emprestado ao Santos. O jogador, que em um primeiro momento chegou para ser reserva de Borges, ganhou a condição de titular neste ano e caiu nas graças da torcida. Mas, como a sua estadia no Peixe se encerra no final deste mês e o Benfica (Portugal), dono de seus direitos federativos, não quer mais cedê-lo ao time da Vila Belmiro, Kardec se despediu do elenco e da comissão técnica santista, na manhã desta terça-feira, no CT Rei Pelé.

Emocionado, o centroavante não chorou em frente aos jornalistas, porém, enumerou as recordações que irá levar de sua passagem pelo Alvinegro Praiano. ‘Evoluí como homem. Ganhei a confiança que talvez eu não tenha conseguido conquistar lá no Benfica. Trabalhei com um grupo excelente e com um grande treinador. Tanto é que sou centroavante de origem, mas ele me observava nos treinos e enxergou que eu tinha a versatilidade de atuar mais recuado ou pelos lados do campo. Fico feliz porque essa passagem acrescentou muito na minha carreira’, afirmou.

Indagado sobre como definiria o período em que defendeu o Santos, Alan Kardec garantiu que deixa o clube com a sensação de dever cumprido. ‘Foi um desafio e tanto, que valeu a pena. A partir do momento em que recebi a proposta, eu já sabia que o time tinha um grupo formado. Eu topei sabendo que teria que lutar para ser titular. É difícil responder, mas o sentimento é de que consegui realizar bem a minha missão. Acredito que tivemos mais vitórias do que derrotas nesse tempo. Fomos vice-campeões mundiais, lutamos até as semifinais na Copa Libertadores e vencemos o Paulistão’, relembrou.Futuro – Sem saber ao certo como será o seu futuro, o atacante sabe que precisa se reapresentar aos encarnados na próxima segunda. A partir deste momento, Kardec irá discutir com a direção da equipe lisboeta a sua situação e o seu possível aproveitamento pelo Benfica, na próxima temporada do futebol europeu.

‘Não tive uma conversa direta com ninguém do Benfica. A conversa que terei será quando eu chegar lá. Quero dar sequência a tudo que eu fiz aqui no Santos, com a camisa do Benfica. Até porque, sei o que a minha família sente, o quanto é doloroso para o meu pai ficar aqui no Brasil, porque ele não pode ir para lá. A minha motivação maior é trabalhar pela família, pela minha mulher e volto para lá querendo jogar mesmo. É esse o meu intuito’, comentou.

Por isso, caso a sua situação com o time português não se resolva como ele pretende, o centroavante apontou que a sua prioridade seria um retorno ao Peixe, mesmo sabendo de todas as dificuldades encontradas pelos santistas na negociação com os encarnados – o Benfica pediu 6 milhões de euros ( cerca de R$ 15 milhões) pela sua transação definitiva.

‘Se não for possível jogar lá, quero voltar ao Santos. É a minha primeira opção. O Santos, como o Vasco (clube onde foi revelado), é a minha segunda casa’, comentou Alan Kardec. ‘Ontem (segunda-feira), quando comecei a fazer as malas, comecei a chorar. E hoje (terça) recebi muitos abraços sinceros, desde dos funcionários mais simples até os dos jogadores mais importante’, emendou o atleta, controlando a emoção em sua última entrevista coletiva, antes do embarque para Lisboa.

Durante a sua passagem com a camisa santista, Alan Kardec disputou 64 partidas, marcando 13 gols. Desse total, 11 tentos foram anotados neste ano, quando esteve presente em 35 jogos da equipe.