Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Emerson prova que tem estrela para se consagrar como novo Basílio

Por Da Redação
Atualizado em 19 jul 2016, 13h51 - Publicado em 5 jul 2012, 00h03

O atacante Emerson em nada se parece com o ex-jogador Basílio. Enquanto o ídolo que marcou o gol do histórico título do Campeonato Paulista de 1977 é bastante tranquilo e político, o novo ‘libertador’ do Corinthians costuma se divertir com as polêmicas que se envolveu ao longo de sua carreira. É inegável, no entanto, que o Sheik também tem pés de anjo.

Depois de se destacar como tricampeão brasileiro por três times diferentes (Flamengo em 2009, Fluminense em 2010 e Corinthians em 2011), Emerson se consagrou definitivamente como o autor dos gols que deram o primeiro título da Copa Libertadores da América ao Timão. Nas semifinais, já havia sido decisivo ao anotar contra o Santos, na Vila Belmiro.

Sheik parecia prever a importância que teria para o Corinthians na Libertadores. O jogador costuma dizer que ‘tem estrela’. Por isso, havia feito antecipadamente um pingente com o número três gravado em uma taça do Campeonato Brasileiro, antes mesmo de ter a garantia do título obtido em 2011. Ele anotara o gol que dera a conquista ao Fluminense no ano anterior.

Desta vez, antes de superar o Boca Juniors, Emerson comprou uma gigantesca garrafa de champanhe com seu nome escrito em cristais Swarovski. Em La Bombonera, após brigar em campo com os jogadores argentinos e dar uma assistência magistral para Romarinho empatar a partida em 1 a 1, ele disse ter vindo ‘da favela’ e avisou que ‘teria volta’ no Pacaembu. Ele, de fato, deu o troco.

Continua após a publicidade

Se Basílio não gosta de se vangloriar muito pela libertação do jejum de títulos do Corinthians em 1977, Emerson parece ter outro perfil. Ele é polêmico. O atacante que começou a carreira no São Paulo já foi descoberto como ‘gato’, por ter adulterado a sua idade’, e chama-se Marcio Passos de Albuquerque. O episódio ficou no passado. Assim como suas intrigas no Fluminense, time em que se desentendeu por se declarar flamenguista. Cantou ‘Bonde do Mengão sem freio’ e até deu tiros de chumbinho em um hotel de Montevidéu.

Emerson, agora, é um personagem muito mais querido do que controverso. Até o fato de ter uma macaca, chamada Cuta, o torna carismático. É o ‘novo Basílio’.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.