Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em SP, festa do Brasileiro suprime vaias, mas gera mal-estar com Vasco

A festa que premiou os melhores do Campeonato Brasileiro teve a primeira edição fora do Rio de Janeiro e apresentou modificações. No Auditório Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo, foram registrados pontos positivos e negativos na noite de gala do futebol nacional.

A parte boa da mudança foi o fim das vaias, uma ‘tradição’ no Rio de Janeiro sempre que o prêmio era entregue a atletas que não atuavam na cidade. No entanto, a organização da festa paulista também sofreu com problemas, sobretudo pela ausência de convites à diretoria do vice-campeão Vasco.

‘Houve um erro grave, ou acho que a festa já estava programada’, ironizou o goleiro Fernando Prass, seguido pelo zagueiro Dedé. ‘O Roberto Dinamite ficou muito triste com essa história, ele é um cara bondoso, não sei se houve um problema interno’.

Outra alteração ocorreu na entrega dos troféus. No palco, apenas o primeiro lugar de cada categoria foi chamado para a homenagem. Os outros indicados levaram as suas taças na saída do evento, de forma confusa, junto com a passagem de convidados. Alguns dos atletas nem sequer receberam o prêmio, que ficou exposto para muitos verem e tocarem sem restrição.

Na entrega do prêmio Craque da Galera, mais uma situação curiosa: Dedé foi o vencedor e não se encontrava na área interna do auditório no momento do anúncio. Embaraçados, os apresentadores do Luciano Huck e Tiago Leifert explicaram que o atleta concedia uma entrevista no lado externo. ‘Mas depois eu recebi o troféu. Aliás, fiquei surpreso, pois achei que seria o terceiro colocado dessa categoria, atrás do Neymar e do Liedson’, confessou o vascaíno.

O início da cerimônia já foi marcado por um grande constrangimento aos atletas. No corredor de entrada, reservado para as entrevistas, não havia nenhum tipo de cobertura ou lona de proteção. Vários atletas, dirigentes e treinadores desfilaram pelo tapete vermelho do local e conversaram com jornalistas sob uma incômoda garoa. ‘Vejam como sou legal, estou falando com vocês na chuva’, brincou o fenômeno Ronaldo, que chegou ao evento perto das 21h30.

No programa da festa, algumas personalidades foram convidadas para apresentar os prêmios. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ganhou a incumbência de anunciar os indicados e o melhor meia pelo lado direito, mas simplesmente não recebeu a ficha com os nomes. Ficou complicado lembrar todos os nomes.

Além disso, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, também não se mostrou à vontade com o microfone no momento em que tinha de chamar o Corinthians, clube campeão brasileiro. Assim, Luciano Huck intercedeu: ‘Como um apresentador, o senhor é um bom dirigente’, disse.