Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em grupo difícil, Bruninho e Ricardinho esperam embalar na 1 fase

Cercado pela desconfiança após uma campanha abaixo do esperado na última Liga Mundial, o Brasil encara Rússia, Estados Unidos, Sérvia, Alemanha e Tunísia na primeira fase dos Jogos Olímpicos de Londres. Apesar do alto nível da maioria dos adversários, os levantadores Bruninho e Ricardinho esperam embalar no estágio preliminar.

‘Vai ser muito importante para mostrar para as outras equipes que continuamos com uma boa qualidade. Se algumas equipes estão achando que nossa época já passou, temos que mostrar nessa primeira fase que vamos com tudo e com vontade de ganhar medalha’, disse Bruninho na chegada a Londres, na tarde desta segunda-feira.

O time brasileiro terminou a Liga Mundial na sexta colocação, sua pior performance sob o comando do técnico Bernardinho. Ao desembarcar no Aeroporto de Heathrow, o experiente Ricardinho também citou as críticas suscitadas pela campanha do Brasil no torneio.

‘Não fomos bem na Liga Mundial, uma coisa que não era muito comum de acontecer, mas eu senti o grupo muito fortalecido depois dessa derrota e dos comentários dizendo que não somos mais favoritos. É bom, porque podemos começar a subir pelas beiradas’, afirmou.

A presença de Ricardinho, por sinal, é a principal novidade no time convocado por Bernardinho para os Jogos Olímpicos de Londres. Afastado desde que se desentendeu com o treinador na véspera do Pan-americano do Rio de Janeiro-2007, ele retornou em 2012 e garantiu presença em Londres.

Na medida em que perdeu a edição de Pequim dos Jogos Olímpicos, Ricardinho comparou a situação atual com a que antecedeu o título de Atenas. ‘Em 2004, chegamos com uma pressão muito grande de ter que vencer na Grécia, porque estávamos ganhando tudo desde 2001. Nesse ano, é diferente’, analisou.

De acordo com Ricardinho, o técnico Bernardinho promoveu duas reuniões com o elenco para analisar a decepção na última edição da Liga Mundial. De volta à Seleção, ele procura usar a experiência para passar pelo momento de questionamento vivido na véspera dos Jogos de Londres.

‘Estou muito esperançoso de que vamos crescer na hora certa. Procuro passar aos mais novos que a Liga Mundial acabou e que temos que saber carregar o peso de não ter ido tão bem em um campeonato. Esse time já provou várias vezes que tem condições de reverter. A estreia contra a Tunísia vai ser importante para entrarmos no ritmo’, disse.

Bruninho, por sua vez, vê o momento ideal para o time ressurgir e provar sua capacidade. ‘Se estamos chegando mais desacreditados do que nas outras oportunidades por tudo que o vôlei ganhou nos últimos 12 anos, essa é a hora de mostrar que o grupo pode superar esses momentos e dar a volta por cima’, afirmou.