Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em crise, Flamengo estreia contra Real Potosí (e altitude)

Jogo da pré-Libertadores, nesta quarta, acontece a 4.000 metros, na Bolívia

O ambiente no clube está conturbado, em função da saída de Thiago Neves, dos atrasos nos salários e de problemas na relação entre Ronaldinho, grande astro do time, e Luxemburgo, o técnico da equipe carioca

Em meio aos problemas que tomaram conta do noticiário recente do clube, o Flamengo começará a disputa da pré-Libertadores nesta quarta-feira e enfrentará o Real Potosí – e o perigo da altitude de 4.000 metros – na cidade de Potosí, na Bolívia. O objetivo é conseguir um resultado que já encaminhe a classificação do clube carioca para a fase de grupos. O jogo de volta está marcado para a próxima quarta, no Engenhão, no Rio, e quem se classificar integrará o Grupo 2 da Libertadores, junto com Emelec, Lanús e Olímpia.

O ambiente no clube está conturbado, em função da saída do meia Thiago Neves, que trocou o Fla pelo rival Fluminense, dos atrasos nos salários, que motivaram reclamações do zagueiro Alex Silva e de representantes do Ronaldinho Gaúcho, e de problemas na relação da principal estrela da equipe com o técnico Vanderlei Luxemburgo.

O elenco rubro-negro visitou no domingo o estádio Víctor Agustín Ugarte, onde os jogadores – que chegaram à Bolivia dez dias antes da partida para fazer um trabalho de aclimatação e preparação -, não demonstraram ter sentido os problemas de respiração típicos de atletas que não estão ambientados. O meia Renato disse que ao visitar o estádio desta vez não sentiu o sufoco vivido em 2007, quando o Fla chegou na hora do jogo.

A presença de Ronaldinho Gaúcho provocou um alvoroço nos torcedores em Sucre, capital constitucional da Bolívia. O craque recebeu uma condecoração do presidente Evo Morales. Luxemburgo não tem problemas para escalar o time, e todos os titulares estão à disposição. Já o time boliviano tenta surpreender, e para isso o técnico argentino Víctor Zwenger escalará três jogadores no ataque.

(Com agência EFE)