Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Em clássico morno, City vence e retoma liderança do Campeonato Inglês

Por Da Redação 30 abr 2012, 18h03

Redação Central, 30 abr (EFE).- O Manchester City retomou a liderança do Campeonato Inglês ao bater o Manchester United por 1 a 0 no Etihad Stadium na tarde desta segunda-feira, com gol do zagueiro belga Vincent Kompany aos 45 minutos do primeiro tempo.

O time de Roberto Mancini chegou aos mesmos 83 pontos dos rivais. A vantagem dos ‘Citizens’ reside no critério saldo de gols, o primeiro da competição, com placar de 61 a 53. Ao United resta somar mais pontos que o rival nas duas últimas rodadas, ou conseguir uma goleada elástica contra Swansea ou Sunderland.

As escalações mostravam que as duas equipes de Manchester jogariam com desenhos táticos semelhantes, com linha defensiva de quatro jogadores, dois meias mais centralizados, dois homens abertos pelos lados do campo, um jogador apoiando o ataque e outro mais a frente no setor ofensivo.

E com intermediárias bastante povoadas e defesas bem postadas, o jogo começou com muita marcação por parte das duas equipes e poucas oportunidades de gol. Os ‘Citizens’ buscavam criar mais pelos lados de campo, enquanto os ‘Diabos Vermelhos’ procuravam sempre por Wayne Rooney.

Com o decorrer do primeiro, a postura mais recuada do United fez com que o adversário dominasse amplamente a partida. Mas a primeira boa chance de gol só aconteceu aos 35 minutos de jogo, com Aguero finalizando para bola após cruzamento de Nasri. A partir daí, a ameaça azul se tornou constante.

E aos 45 minutos, o Manchester City precisou apelar para a bola parada para abrir o placar. David Silva cobrou escanteio da direita do ataque na cabeça do zagueiro belga Kompany, que testou com força para abrir o placar no clássico.

No segundo tempo, a expectativa por um Manchester United um pouco mais avançado não se confirmou, com isso, o jogo seguiu com panorama semelhante ao da etapa inicial. Até mesmo nas raras chances de gol, não houve novidade no clássico de Manchester.

Contudo, desta vez o time de Roberto Mancini levou ‘apenas’ 12 minutos para ter sua primeira boa oportunidade, com Aguero, que finalizou para fora uma bola servida por Nasri. Logo após o lance, o técnico Alex Fergunson fez sua primeira alteração, colocando o atacante Wellbeck no lugar do meia ofensivo Park.

A mudança fez o United melhorar no jogo, buscando atacar mais. E se o técnico escocês colocou o time mais para frente, aos 22, Roberto Mancini procurou fechar sua equipe, colocando De Jong no lugar de Tévez.

Continua após a publicidade

Com a mexida, o volante Yaya Touré pode jogar mais avançado. E aos 27, o marfinense conseguiu criar boa chance, ao bater forte da intermediária a esquerda do goleiro De Gea. Os ‘Citizens’ seguiram no ataque e tiveram outras chances mal aproveitadas.

Aos 32 do segundo tempo, Alex Fergunson tentou a segunda alteração, tirando o veterano Scholes para lançar Valencia. Ainda assim, os minutos finais foram de poucas emoções, mesmo com o escocês lançando Young no lugar de Nani e Roberto Mancini colocando o defensor Richards no lugar de David Silva.

O clima só esquentou mesmo com uma discussão entre os dois treinadores após uma falta do volante De Jong em Wellbeck. O Fergunson foi ao banco do City reclamar com Mancini que respondeu com gesto semelhante ao feito por Tite em direção a Felipão, em clássico entre Corinthians e Palmeiras, no ano passado, que ficou célebre pela frase ‘fala muito’, proferida pelo alvinegro.

Ficha técnica:.

Manchester City: Hart; Zabaleta, Lescott, Kompany e Clichy; Barry, Yaya Toure, Nasri (Milner) e David Silva (Richards); Tévez (De Jong) e Aguero. Técnico: Roberto Mancini.

Manchester United: De Gea; Jones, Ferdinand, Smalling e Evra; Carrick, Scholes (Valencia), Nani (Young), Park (Wellbeck), e Giggs; Rooney. Técnico: Alex Fergunson.

Árbitro: Andre Marriner.

Cartões amarelos: Kompany, Touré e De Jong (City); Jones e Carrick (United).

Gols: Kpmpany (City). EFE

Continua após a publicidade
Publicidade