Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em clássico contra o Real, Diego encara seu maior desafio pelo Atlético

Madri, 24 nov (EFE).- Após passagens apagadas por Juventus e Wolfsburg, o meia Diego parece estar reencontrando aos poucos, no Atlético de Madri, o bom futebol que já o levou à seleção brasileira.

‘Aos poucos’, pois seu rendimento ainda é inconstante. Seus gols e assistências têm sido fundamentais para a boa campanha dos ‘Colchoneros’ na Liga Europa, na qual a equipe lidera o grupo I. Já no Campeonato Espanhol, o Atlético decepciona: ocupa a nona posição, bem longe dois dois primeiros colocados, Real Madrid e Barcelona.

Diego, porém, terá uma ótima oportunidade neste sábado para mostrar que a equipe pode brigar, pelo menos, por uma vaga na próxima edição da Liga dos Campeões. E também de provar que ele está em condições de voltar a vestir a ‘amarelinha’, desta vez sob o comando de Mano Menezes, que nunca o convocou.

A missão não será nada fácil, mas em caso de triunfo, além de quebrar um longo tabu, o Atlético ganharia combustível emocional de sobra para o restante da temporada: o time vai disputar o clássico da capital espanhola contra o Real, no estádio Santiago Bernabéu, onde não vence há 12 anos.

Uma vitória também faria a torcida do Atlético esquecer a goleada que a equipe sofreu em seu primeiro clássico na atual edição do Espanhol, para o Barcelona, por 5 a 0. Naquela partida, Diego foi completamente ofuscado por Xavi, Messi e cia, e agora terá a chance de se ‘redimir’ em alto estilo por aquela discreta atuação. Para o meia, o duelo deste fim de semana terá ares de final.

‘É uma partida especial, ainda mais por ser pelo Atlético. Temos que nos preparar muito bem, sabemos que eles são os favoritos. Devemos ter muito respeito, mas vamos jogar para ganhar’, declarou o brasileiro no último domingo, após a vitória sobre o Levante por 3 a 2.

‘O Real Madrid tem um elenco que está junto há muito tempo, e não tem tantos jogadores novos como em nossa equipe. Quando se muda muito, é preciso dar tempo. O Real não estava tão bem no ano passado como agora. Eles estão mais fortes do que nós neste momento, mas temos muita qualidade, e quando jogamos nunca é para perder. Vamos fazer uma grande partida’, acrescentou.

Ciente da importância de Diego para sua equipe, o técnico Gregorio Manzano planeja montá-la em função do meia, como demonstrou nos últimos treinos. Espera dele mais protagonismo em um jogo com estas características. A torcida exige, e depositou nele suas esperanças. De seus pés dependem, em grande parte, as possibilidades de vitória do Atlético. EFE