Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Em choque depois de acidente, F1 desembarca na Rússia

Preocupação com o francês Jules Bianchi ofusca a estreia da categoria no país

Por Da Redação Atualizado em 10 dez 2018, 09h51 - Publicado em 9 out 2014, 17h10

A Fórmula 1 chega à Rússia neste fim de semana cerca de três décadas depois das primeiras declarações do chefão da categoria, Bernie Ecclestone, sobre a possibilidade de incluir o país no campeonato

Em clima de consternação pelo grave acidente sofrido por Jules Bianchi, da Marussia, a Fórmula 1 viajou nesta semana do Japão para a Rússia. O país receberá pela primeira vez uma prova da categoria, no circuito de Sochi. O piloto francês, que faz parte dos quadros da Ferrari, continua internado, em estado crítico porém estável, no Hospital Geral de Mie, na cidade japonesa de Yokkaichi. Por causa do acidente, ocorrido quando o carro da Marussia de Bianchi se chocou com um guindaste, na curva 7 do circuito de Suzuka, diversos pilotos já anunciaram que correrão na Rússia com mensagens de apoio ao piloto francês. A preocupação dos colegas com o estado de saúde de Bianchi e as discussões sobre as falhas que acabaram permitindo a batida ofuscaram os primeiros compromissos da agenda da categoria na Rússia, nesta quinta-feira.

Leia também:

Pilotos usarão adesivos em homenagem a Bianchi em GP

Trauma no cérebro de Jules Bianchi pode deixar sequelas

Vídeo de torcedor mostra batida de Jules Bianchi no Japão

Chefe da F1 cobra investigação sobre acidente de Bianchi

O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, levará no capacete o nome de Bianchi numa prova em que busca a quarta vitória consecutiva na temporada. Hamilton tenta ampliar a vantagem que tem para o companheiro de time, o alemão Nico Rosberg, na ponta da tabela. O campeão mundial em 2008 chegou a 266 pontos com a vitória em Suzuka, ficando 10 à frente do principal rival, o segundo em Suzuka. Ainda com chance de título, o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, é o terceiro, com apenas 193 pontos. Felipe Massa, um dos pilotos que mais se abalaram com o acidente de Bianchi – de quem é amigo -, tentará ampliar na Rússia a sequência de provas terminadas na zona de pontuação. Dos 71 pontos que conquistou na temporada, 31 foram nos três últimos GPs, com o terceiro lugar na Itália, o quinto em Cingapura e o sétimo no Japão.

A Fórmula 1 chega à Rússia neste fim de semana cerca de três décadas depois das primeiras declarações do chefão da categoria, Bernie Ecclestone, sobre a possibilidade de incluir o país no campeonato. A primeira ideia foi a realização de uma prova em circuito de rua que passaria pela Praça Vermelha, em Moscou. Mas o presidente do país, Vladimir Putin, conseguiu levar a corrida para o balneário de Sochi, palco também da Olimpíada de Inverno deste ano. A nova pista tem extensão de 5.848 metros e foi desenhada pelo engenheiro alemão Hermann Tilke. O GP da Rússia terá 53 voltas, somando um total de 309,7 quilômetros. O primeiro ronco dos motores no circuito de Sochi será ouvido nesta sexta-feira, às 3 horas (de Brasília). O treino de classificação e a prova estão marcados para sábado e domingo, respectivamente, às 8 horas.

Próximas provas
Data Local Autódromo
12/10 Rússia Sochi
02/11 Estados Unidos Austin
09/11 Brasil Interlagos
23/11 Abu Dhabi Yas Marina
As equipes e pilotos
Equipe Pilotos
Red Bull Sebastian Vettel (Alemanha) Daniel Ricciardo (Austrália)
Ferrari Fernando Alonso (Espanha) Kimi Raikkonen (Finlândia)
McLaren Jenson Button (Grã-Bretanha) Kevin Magnussen (Dinamarca)
Lotus Pastor Maldonado (Venezuela) Romain Grosjean (França)
Mercedes Nico Rosberg (Alemanha) Lewis Hamilton (Grã-Bretanha)
Sauber Esteban Gutiérrez (México) Adrian Sutil (Alemanha)
Force India Nico Hulkenberg (Alemanha) Sérgio Pérez (México)
Williams Felipe Massa (Brasil) Valtteri Bottas (Finlândia)
Toro Rosso Daniil Kvyat (Rússia) Jean-Eric Vergne (França)
Caterham Andre Lotterer (Alemanha) Marcus Ericsson (Suécia)
Marussia Jules Bianchi (França) Max Chilton (Grâ-Bretanha)

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade