Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Em casa, Atlético vai para o tudo ou nada contra argentinos

Ainda sonhando com primeira final de Libertadores, time precisa de boa vitória

Por Da Redação 10 jul 2013, 08h46

A equipe jogará praticamente completa. O único desfalque será o zagueiro Rever, que está suspenso. O zagueiro Leonardo Silva e o volante Leandro Donizete voltam ao time

Empolgada com o ótimo retrospecto do time no Estádio Independência, a torcida do Atlético-MG adora cantar: “Caiu no Horto, está morto”. Nesta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), o clube mineiro precisa de uma ótima exibição para não morrer em sua própria casa e dar adeus ao sonho de decidir a Copa Libertadores de 2013. Uma semana depois de perder para o Newell�’s Old Boys por 2 a 0, na Argentina, o Atlético precisa derrotar a equipe de Rosario por três gols de diferença para alcançar a final da competição pela primeira vez em sua história. Se o Atlético vencer por 2 a 0, a decisão da vaga acontece nos pênaltis. Qualquer outra vitória atleticana por dois gols de diferença vai classificar o Newell�’s para a final. Apesar da situação difícil, a torcida confia muito na vantagem do clube ao jogar no Independência. Desde a reinauguração do estádio, no ano passado, o Atlético não perdeu no local. Por causa da pressão do torcedor, o time deverá partir para cima dos argentinos desde o começo, tentando abrir o placar o mais rápido possível. “É ir para cima desde o primeiro minuto, dentro de campo e fora dele”, avisou Ronaldinho Gaúcho.

Leia também:

Olimpia aguenta pressão e está na final da Libertadores

Atlético-MG reclama da arbitragem – mas promete a virada

A partida contra o Newell�s será muito especial para o camisa 10, que jamais conquistou a Libertadores. Idolatrado pela torcida do Atlético, ele sabe que poderá começar a ser questionado em Belo Horizonte se falhar na missão de levar o time ao título. O craque não jogou bem na primeira partida contra o Newell�’s, assim como no confronto contra o Tijuana, pelas quartas de final, quando o Atlético só não caiu porque Victor defendeu um pênalti no último minuto. A equipe jogará praticamente completa. O único desfalque será o zagueiro Rever, que está suspenso. O zagueiro Leonardo Silva e o volante Leandro Donizete, que não jogaram na Argentina por causa de problemas físicos, estão recuperados e vão atuar. Na terça, o Atlético fez o último treino antes da partida decisiva. O técnico Cuca colocou seus jogadores para treinar pênaltis e proibiu a imprensa de filmar o treino – preocupado em não revelar os segredos de sua equipe, não deixou nem que os jornalistas anotassem o desempenho dos jogadores nas cobranças. Pode parecer exagero, mas Cuca sabe que o jogo desta quarta terá um impacto decisivo em sua carreira.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade