Em BH, São Paulo abafa crise e derruba invencibilidade do Cruzeiro

Por Da Redação - 1 jul 2012, 00h33

O São Paulo mostrou uma postura mais vibrante no primeiro jogo sem Emerson Leão. Sob o comando do interino Milton Cruz, o Tricolor foi envolvente no ataque e, apesar das rotineiras falhas na defesa, deu fim à invencibilidade do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro com o placar de 3 a 2 no estádio Independência, em Belo Horizonte.

O resultado determina o primeiro triunfo como visitante do São Paulo na edição 2012 do Campeonato Brasileiro e mantém uma sequência sem derrotas para o adversário mineiro: são 16 jogos sem perder.

Na classificação, o Cruzeiro permanece na frente do São Paulo, com 14 pontos contra 12 dos paulistas. O time mineiro cai para o terceiro lugar, pois foi ultrapassado por Vasco e Fluminense, enquanto o Tricolor sobe para a sexta colocação.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo enfrenta o Coritiba, no domingo da semana, no estádio do Morumbi. Um dia antes, o Cruzeiro desafia o perigoso Internacional, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Publicidade

O Jogo – A torcida do Cruzeiro proporcionou um bonito espetáculo nas arquibancadas e inspirou a equipe de Celso Roth a pressionar no começo. A principal jogada dos donos da casa era com o veloz Fabinho pela ponta esquerda. O São Paulo parecia assustado.

Mas o futebol apresenta situações curiosas e a primeira oportunidade veio para o Tricolor. Em um contra-ataque armado por Cortez, Jadson recebeu na área, driblou Tinga e chutou rasteiro. Caprichosa, a bola raspou o poste direito do goleiro Fábio.

O lance trouxe confiança ao São Paulo, que abriu o placar aos 11 minutos. Douglas avançou pela direita, aplicou um drible da vaca em Everton e cruzou. O zagueiro Rafael Donato tentou o domínio na área e falhou feio: deixou a bola de presente para Luis Fabiano conferir no canto direito da meta adversária.

Só que a vantagem tricolor acabou logo no lance seguinte. Em cobrança de escanteio de Montillo na esquerda, a zaga são-paulina cochilou e proporcionou a chance da redenção de Rafael Donato, em uma conclusão de cabeça sem chances para Denis.

Publicidade

Em um jogo eletrizante, o São Paulo gastou três minutos para recuperar a vantagem. Luis Fabiano arrancou pelo meio, dividiu com um zagueiro e viu a bola sobrar para Lucas. Na entrada da área, o camisa 7 ainda driblou Victorino antes de tocar na saída de Fábio.

Nos minutos seguintes, o ritmo em campo foi mais cauteloso. O Cruzeiro perdeu a velocidade de Fabinho, lesionado, e apostou na entrada de Souza. Já o São Paulo viu a obrigação de substituir Rhodolfo, com um desconforto muscular. O questionado Paulo Miranda veio para o gramado. O Tricolor administrou a vantagem até o intervalo.

Para o segundo tempo, o São Paulo voltou a aumentar o ritmo e ampliou o marcador. Aos três minutos, Cortez recebeu passe preciso de Maicon e chutou em cima de Fábio na cara do gol. Atento, Jadson pegou a sobra na entrada da área e bateu rasteiro: 3 a 1.

Mas a zaga tricolor voltou a falhar em uma jogada aérea. Após cobrança de escanteio da direita e o desvio no primeiro pau, Rafael Donato ganhou de novo de Edson Silva e conferiu de cabeça na área.

Publicidade

Com o gol, o Cruzeiro partiu com tudo para o ataque. O técnico Celso Roth promoveu a entrada do atacante Wallyson no lugar do volante Charles. Enquanto isso, o São Paulo perdeu a chance do quarto: Luis Fabiano parou em Fábio em uma cobrança de pênalti e ainda levou um cartão de amarelo ao se irritar com um pedaço de grama que o atrapalhou no chute.

Nos minutos finais, o Cruzeiro ficou com domínio completo do toque de bola no campo do ataque. Aos 42 minutos, a principal chance do empate, mas a bomba de Wallyson parou em grande defesa de Denis.

Publicidade