Clique e assine com até 92% de desconto

Em ano marcado por mortes em outras categorias, Vettel domina F-1

Por Da Redação 22 dez 2011, 17h15

Madri, 22 dez (EFE).- O ano de 2011 será recordado no mundo do esporte a motor pelo domínio do alemão Sebastian Vettel na Fórmula 1, categoria em que o piloto da Red Bull se tornou o mais jovem bicampeão da história, e pelas mortes do inglês Dan Weldon, na Fórmula Indy, e do italiano Marco Simoncelli, na MotoGP.

Vettel, de apenas 24 anos, liderou a temporada do começo ao fim, conquistou o título com quatro corridas de antecipação, chegando em terceiro lugar no Grande Prêmio do Japão, e ainda ajudou a escuderia austríaca a ser campeã do Mundial de Construtores também pelo segundo ano seguido.

Além de ser o bicampeão mais jovem, Vettel bateu outros recordes importantes. Obteve, por exemplo, 392 pontos no campeonato, superando a própria marca de 2010 e abrindo 122 de vantagem para o segundo colocado de 2011, o inglês Jenson Button, da McLaren. O terceiro foi o australiano Mark Webber, também da Red Bull, com 258 pontos, seguido Fernando Alonso (Ferrari, 257 pontos) e Lewis Hamilton (McLaren, 227).

O alemão também alcançou o maior número de pole positions em uma só temporada, 15, uma a mais que as anotadas por Nigel Mansell, também da Inglaterra, em 1992. Faltou apenas uma vitória para que ele igualasse as 13 de seu compatriota Michael Schumacher em 2004.

Vettel praticamente monopolizou o lugar mais alto do pódio. Além dele, apenas outros três pilotos subiram até lá. Button cruzou a linha de chegada em primeiro no Canadá, na Hungria e no Japão; Hamilton, na China, na Alemanha e em Abu Dhabi; e Alonso obteve a única vitória da Ferrari no ano, na Grã-Bretanha.

O ano da escuderia italiana, por sinal, não foi dos melhores. Terceira colocada no Mundial de Construtores e longe da briga pelos títulos, a equipe viu pela primeira vez desde 1992 um piloto seu, o brasileiro Felipe Massa, não conseguir subir ao pódio durante toda a temporada.

Continua após a publicidade

A fase do país na principal categoria do automobilismo não é das melhores. Rubens Barrichello somou apenas quatro pontos pela Williams e ainda não teve seu contrato renovado, embora ainda haja algumas chances, já que a escuderia confirmou apenas um piloto para a próxima temporada, o venezuelano Pastor Maldonado.

Bruno Senna, por sua vez, começou o ano como piloto de testes da Renault, e ganhou a vaga do alemão Nick Heidfeld durante a temporada. O sobrinho de Ayrton Senna teve bom desempenho e alcançou um nono lugar, na Itália, mas mesmo assim não será titular em 2012.

Na MotoGP, o australiano Casey Stoner, que trocou a Ducati pela Honda, não teve dificuldades para conseguir o segundo título da carreira. Já o heptacampeão da categoria principal Valentino Rossi, em seu primeiro ano de Ducati, teve muitas dificuldades e foi apenas o sétimo colocado no Mundial.

A temporada, contudo, foi marcada pelo grave acidente ocorrido durante o Grande Prêmio da Malásia, que causou a morte de Simoncelli, de 24 anos.

O italiano brigava pela quarta posição com Álvaro Bautista quando caiu e acabou sendo atropelado pelo americano Colin Edwards, que seguia atrás e não conseguiu evitar o choque.

Outra morte trágica aconteceu na Fórmula Indy. Em um acidente ocorrido durante as 300 milhas de Las Vegas e que envolveu 15 carros, Dan Wheldon ‘decolou’, bateu com a cabeça em um poste e não resistiu aos ferimentos.

O bicampeão das 500 milhas de Indianápolis e campeão da Indy em 2005 competia em Las Vegas como convidado, em uma corrida que selou o quarto título da carreira do escocês Dario Franchitti, o terceiro consecutivo. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade