Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Elenco do São Paulo faz pacto para Paulo Miranda retornar à equipe

Se na segunda-feira, dia seguinte à eliminação no Campeonato Paulista, nenhum jogador deu entrevistas no CT da Barra Funda, coube a Bruno Cortez nesta quinta-feira dar explicações após mais uma derrota, para a Ponte Preta. E o lateral esquerdo falou em quase todas as suas respostas o que parece uma fixação no elenco: ‘Temos que trazer o Paulo Miranda de volta ao nosso lado’.

‘Desde o jogo em Campinas, focamos como objetivo a vitória e a classificação. Com isso, teremos mais tranquilidade para o nosso companheiro voltar’, comentou o camisa 6, único escolhido pela assessoria de imprensa para enfrentar seguidos questionamento sobre a reação do grupo ao problema sofrido pelo zagueiro.

Paulo Miranda assinou pré-contrato com o São Paulo antes mesmo de Emerson Leão chegar ao clube. Vindo do Bahia, o atleta foi titular desde o primeiro treino com a equipe, mas falhou seguidamente até que os dirigentes usaram a hierarquia para tirar da concentração o defensor que seria titular contra a Ponte Preta.

Nesta quinta-feira, o defensor treinou com os reservas, fazendo trabalhos leves com bola, e pouco falou com titulares, que só realizaram atividades físicas. ‘Agora nem conversamos, ele foi para um lado e eu para o outro’, comentou Cortez.

A disposição garantida pelo lateral, contudo, comprova o que Leão já havia dito logo após a partida: o grupo ficou chateado com a imposição dos dirigentes. ‘Cabe a nós dar força, buscar resultados que só através dos resultados vamos mostrar o nosso lado e mostrar o potencial que temos’, justificou.

O camisa 6 se mostrou incomodado com a clara interpretação de que, se Paulo Miranda foi cortado pela diretoria, acaba como principal responsabilizado pela derrota na qual Neymar marcou três gols para o Santos – o zagueiro cometeu pênalti com menos de dois minutos de jogo e não alcançou o atacante no segundo gol.

‘Não pode ser colocado só nas costas do Paulo Miranda, todos têm culpa. Não é à toa que ele está aqui no São Paulo’, defendeu Cortez, ansioso por vitórias em prol do colega. ‘Primeiro temos que levantar a cabeça, conquistar o nosso objetivo. Não podemos deixar nosso companheiro de lado. Precisamos trazê-lo de volta ao nosso lado. A diretoria sabe o que faz, mas vamos fazer o Paulo Miranda voltar ao nosso lado.’