Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Elano se desculpa e revela violência contra seu pai

Por Da Redação 28 jul 2011, 09h15

O meia Elano viveu na última quarta-feira, no histórico clássico entre Santos e Flamengo, na Vila Belmiro, uma noite para esquecer em sua carreira. Quando o seu time vencia por 3 a 2, ele teve a chance de ampliar para 4 a 2, mas cobrou pênalti de forma displicente e viu Felipe agarrar com facilidade, pouco antes de a equipe carioca conseguir o empate parcial por 3 a 3 ainda no final do primeiro tempo. Em seguida, na etapa derradeira, o time de Vanderlei Luxemburgo assegurou a vitória pelo raro placar de 5 a 4 no duelo válido pela 12.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Após o confronto, o jogador se desculpou com os torcedores do Santos e admitiu que foi imprudente na cobrança de pênalti. “Eu assumo a responsabilidade. Os que vaiaram estão com a razão. Claro que perder pênalti pode acontecer, mas não da maneira como foi e em um jogo tão importante. Sei da capacidade que tenho e o quanto eu treino, mas eu quis tentar bater diferente, esse foi o meu erro”, reconheceu Elano, que em seguida revelou que teve uma semana angustiante, na qual o seu pai sofreu uma tentativa de sequestro um dia após ser alvo da violência de assaltantes.

“Foi uma semana difícil, a pior da minha carreira. Mas eu acho que minha história no Santos tem muito mais acertos do que erros. Peço desculpas para o torcedor veio ao estádio com o filho e voltou para a casa triste. Eu estou tão triste quanto ele. Desculpas também aos jogadores que se esforçaram para conseguir a vitória. O que mais me incomoda não é perder o pênalti, é sair com a derrota”, reforçou o meio-campista, explicando como ocorreram os atos de violência contra o seu pai em seu sítio, que fica em Iracemápolis, no interior de São Paulo.

“Na segunda-feira à noite, eu recebi uma ligação da mãe das minhas filhas para que fôssemos juntos à igreja. Quando eu estava lá, meu funcionário me ligou avisando que meu pai estava amarrado no sítio. Invadiram e levaram algumas coisas, inclusive minhas camisas da seleção que eu dei para ele. Felizmente, na hora eles não sabiam que era meu pai. Ontem (na terça), já sabendo, voltaram para sequestrá-lo, mas não conseguiram”, contou Elano.

Antes de explicar o episódio que envolveu o seu pai, o jogador ainda ameaçou deixar o Santos se continuar sendo vaiado pelos torcedores do clube que estão insatisfeitos com o seu futebol. “Tenho história muito bonita, não quero que seja apagada por algo de errado que fiz dentro de campo. Estou vindo aqui para pedir desculpas aos torcedores. Peço que eles tenham paciência e me respeitem. Tenho cinco anos de Santos, quatro títulos, e na minha opinião dois deles históricos, o de 2002 (do Campeonato Brasileiro) e o da Libertadores (obtido neste ano). Hoje eles (torcedores) estão com razão, mas peço respeito. Se continuar assim prefiro sair”, admitiu.

Elano viveu estes três dias conturbados na semana que marcou o seu primeiro jogo após fracassar junto com a seleção brasileira na Copa América. E o meio-campista perdeu o seu segundo pênalti consecutivo, já que também cobrou muito mal a penalidade na disputa que resultou na eliminação do Brasil diante do Paraguai, nas quartas de final, na Argentina. Na ocasião, ele iniciou a incrível série de quatro cobranças erradas dos brasileiros, ocorridas após empate por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês