Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Edu Dracena prega respeito ao Kashiwa

Por Toshifumi Kitamura 13 dez 2011, 10h19

O zagueiro e capitão do Santos, Edu Dracena, afirmou nesta terça-feira que tem um grande respeito pelo adversário de quarta-feira nas semifinais do Mundial de Clubes, o Kashiwa Reysol do Japão, que, segundo ele, está em um grande momento.

Nos últimos 10 dias, o Kashiwa conquistou o título japonês e venceu duas partidas no Mundial, primeiro o Auckland City neozelandês (2-0) e depois o Monterrey mexicano (4-3 nos pênaltis, após 1-1 no tempo normal e prorrogação).

“Temos que ser conscientes de que vamos enfrentar uma equipe que já mostrou muito e que é um bom time. O Santos está preparado para jogar esta primeira partida. Sempre temos que pensar na próxima partida e devemos jogar como estamos acostumados”, afirmou Dracena em uma entrevista coletiva em Toyota.

Para o zagueiro, 30 anos, a equipe tem que estar atenta especialmente nas jogadas de bola parada.

“Estas bolas serão muito perigosas. Temos que procurar entrar bem na partida e também dominar no jogo ofensivo pelo alto”, disse.

Ao ser questionado sobre a decisão do técnico do Barcelona, Josep Guardiola, de permitir a seus jogadores dormir com as esposas e passar tempo com suas famílias durante a concentração, Edu Dracena disse que seria difícil imaginar algo assim em um clube brasileiro.

“No Brasil seria algo complicado. Eles estão mais acostumados, nós não”.

Outro jogador entrevistado nesta terça-feira, o volante Henrique, elogiou as equipes japonesas, que para ele são “rápidas e dinâmicas”.

Henrique, 26 anos, jogou no Jubilo Iwata entre 2006 e 2007.

Continua após a publicidade
Publicidade