Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Edcarlos taxa derrota como inexplicável

Por Da Redação 12 out 2011, 19h08

O fio de esperança que ainda restava no Olímpico foi perdido. A atuação gremista diante do Figueirense deixa o Grêmio distante de uma vaga à Libertadores. No momento a diferença é de sete pontos, mas pode aumentar no decorrer da 29rodada. O abatimento após a derrota por 3 a 1 dentro de casa estava estampada na feição dos jogadores. A irritação da torcida ecoava com os gritos vindos das arquibancadas.

‘É inexplicável. Sabíamos que o contra-ataque era a principal arma deles e que eles iam explorar isso. Caímos na armadilha’, lamentou o zagueiro Edcarlos, autor do gol gremista no segundo tempo. Dois dos gols do Figueira, o segundo e o terceiro, saíram em lances de contra-atraque.

O ambiente mais tranquilo visto nas últimas rodadas desapareceu. Quando o adversário marcou o segundo gol, ainda no primeiro tempo, as vaias surgiram com força. Jogadores como Douglas, aplaudido antes da partida, recebia os apupos antes do apito final. Quando a bola parou de rolar, o principal alvo foi o presidente Paulo Odone, ofendido com os cânticos da torcida.

‘Hoje não conseguimos desenvolver um bom futebol. Enfrentamos uma equipe bem ajustada, que marca forte. Acabamos sofrendo os gols. Entendemos a torcida. Só a gente pode dar alegrias para eles’, comentou o capitão Fábio Rochemback.

Na próxima rodada o Grêmio enfrenta o Santos. A derrota para o Figueirense atirou o clube para a 12colocação no Campeonato Brasileiro.

Continua após a publicidade

Publicidade