Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ecclestone diz que Brasil pode deixar o calendário da F1

Dirigente espera que São Paulo realize as obras de adequação em Interlagos

São Paulo está próximo de ficar fora do calendário da Fórmula 1 em 2014. “As promessas de reforma de Interlagos não foram cumpridas. Agora, chega. Não fosse a relação antiga e os sentimentos que me ligam ao Brasil, a Fórmula 1 não estava mais lá”, disse Bernie Ecclestone, promotor do torneio, em Xangai, no domingo, explicando que até mesmo o Brasil pode deixar de receber uma etapa oficial da competição.

Leia também:

Bernie Ecclestone defende Vettel: ‘�É um vencedor’

Alonso vence GP da China e reage na F1; Massa é 6º

Há muito tempo Ecclestone exige da Prefeitura de São Paulo a adequação do autódromo de Interlagos às necessidades da Fórmula 1. “O traçado é um dos melhores do mundo. Mas a estrutura à disposição do público e das equipes é a pior do calendário”. O dirigente, que levou a Fórmula 1 para o Brasil em 1972, disse que se colocou em uma situação difícil com sua condescendência em relação à prova de São Paulo. “Não podemos cobrar nada dos outros autódromos com Interlagos mantendo-se como está. Os demais administradores conhecem Interlagos, isso nos desmoraliza.”

Leia também:

Alonso e Massa testaram Ferrari F12berlinetta de R$ 2,9 mi

Camaro aparece renovado em NY. E resgata o Z28

A equipe do ex-prefeito Gilberto Kassab realizou um projeto, definido junto com integrantes da FIA, para reestruturar o autódromo com a criação de nova área de boxes, salas, banheiros e paddock no início da Reta Oposta. Tudo segue o padrão de exigência da entidade. E incluiu o valor da obra, estimado em 120 milhões de reais, no orçamento de 2013. O atual prefeito, Fernando Haddad, contudo, não iniciou os trabalhos. “Este ano não espero mudanças. Mas se o autódromo não estiver na condição que a Fórmula 1 necessita em 2014, não iremos a São Paulo”, disse Ecclestone.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Alternativa – Bernie Ecclestone disse que o Brasil pode ficar fora do calendário oficial da Fórmula 1, mas admitiu que outras cidades aparecem como candidatas. “Estive em Santa Catarina e fiquei impressionado com a disposição deles em levar adiante o projeto de nos receber. Acredito que, se der o sinal verde, eles iniciam imediatamente as obras. O Rio de Janeiro também me procurou, mas lá seria um pouco mais difícil.” No caso de Santa Catarina, seria construído um autódromo concebido pelo arquiteto de quase todos os circuitos mais recentes do calendário, o alemão Herman Tilke, na cidade de Penha, no litoral norte, integrado ao Parque Beto Carrero.

(Com Estadão Conteúdo)