Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dunga nega ligação com quadrilha de venda de ingressos

"É totalmente fora do proporcional", disse ex-jogador, sobre elo com empresário preso no Rio

O ex-jogador Dunga, que já foi capitão e treinador da seleção brasileira, falou nesta quinta-feira sobre a foto em que aparece ao lado de Lamine Fofana, o empresário franco-argelino que foi preso nesta semana no Rio acusado de integrar uma quadrilha internacional especializada em venda de ingressos para jogos da Copa do Mundo. “Fofana é empresário no futebol, me levou para jogar na Chechênia. Não posso responder nada, porque até o momento não chegou nada para mim”, disse Dunga, em entrevista nesta quinta-feira no Rio. Segundo o ex-jogador, a acusação de ligação dele com o empresário não tem cabimento.

Leia também:

Quadrilha de cambistas era liderada por membro da Fifa

Polícia desarticula quadrilha internacional de cambistas

Além de Dunga, Fofana aparece em fotos ao lado de vários ex-integrantes da seleção brasileira, como Romário, Ronaldo e Cafu. O delegado Fábio Barucke, que coordena as investigações da operação que já prendeu 11 suspeitos, adiantou que deverá chamar ex-jogadores para depor.

Leia também:

Torcida nota zero: sul-americanos dão mau exemplo no Rio

Baderneiros argentinos são denunciados pelo MP

Membro da Fifa – O advogado José Massih, braço direito de Fofana no Brasil, disse à polícia o primeiro nome do membro da Fifa que seria o líder da grandiosa quadrilha de venda ilegal de ingressos da Copa do Mundo. O delegado do caso não quis revelar o nome informado, mas afirmou que o integrante da entidade é estrangeiro (ainda não se sabe a nacionalidade) e se hospedou no hotel Copacabana Palace, onde está reunida toda a cúpula da Fifa, incluindo o presidente Joseph Blatter.

(Com Estadão Conteúdo)