Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dunga faz mistério, mas Elias deverá ser titular da seleção

Atleta do Corinthians pode se beneficiar da ausência de Ramires e Fernandinho

“Não esperava uma recepção tão calorosa”, disse Kaká, que desembarcou em Pequim só nesta quarta-feira

Com 22 dos 23 jogadores convocados em campo, Dunga comandou nesta quarta-feira o segundo treino da seleção brasileira em Pequim antes do Superclássico das Américas, contra a Argentina, no sábado. O único ausente da atividade no Olympic Sports Center Stadium foi o volante Rômulo, do Spartak Moscou – ele não tinha o visto de entrada no país e ainda não chegou a Pequim. Dunga não divulgou o time titular que começará o Superclássico, mas deu pistas de que Elias ficará com uma vaga no meio depois dos cortes de dois outros volantes, Ramires e Fernandinho, por lesão.

Leia também:

Em dia de Brasileirão esvaziado, confira bizarrices da CBF

Seleção faz 1º treino em Pequim com apenas 17 jogadores

Em voo com argentinos, seleção começa a chegar à China

Dunga convoca Kaká de última hora. E São Paulo reclama

CBF atrapalha 11 partidas no Brasil – mas Dunga bate o pé

O treinador dividiu os jogadores em três grupos e o volante do Corinthians – que não vive um bom momento em seu time – atuou ao lado de Neymar, David Luiz, Filipe Luís, Oscar e Danilo, todos titulares. Dunga comandou um treino bastante diferente: com duas traves no meio-campo, cada uma virada para sentidos opostos, os jogadores atacavam de um lado do gramado e defendiam de outro. Enquanto isso, os atletas do terceiro time ficavam nas beiradas do campo reduzido e ajudavam a equipe que estava atacando quando a bola ia em sua direção.

O treino foi disputado em ritmo bastante intenso e durou uma hora e meia. Os quatro atletas que desembarcaram em Pequim nesta quarta – Kaká, Juan, Marcelo Grohe e Souza -, se juntaram à delegação apenas algumas horas antes da atividade, mas participaram normalmente até o fim do treino. Kaká, aliás, foi recebido no aeroporto e no hotel da seleção com muita festa pelos chineses, que mostraram empolgação maior até do que na chegada de Neymar. O atleta, que foi convocado de última hora, na vaga de Ricardo Goulart, machucado, se disse surpreso com a euforia dos chineses. “Não esperava uma recepção tão calorosa”, confessou..

O meia de 32 anos se apresentou a Dunga sem fazer projeções para o futuro. Na Copa do Mundo da Rússia, ele terá 36 anos. “Faço planos na minha carreira de curto, médio e longo prazo. Nesse momento de transição da seleção, tenho de pensar a curto prazo, ver o quanto eu posso contribuir. Se eu posso contribuir a longo prazo, vai depender de cada passo desse curto período. Agora, tenho de pensar nesses dois amistosos, depois nos de novembro. No ano que vem tem Copa América, Eliminatória. É um passo de cada vez. Eu ainda posso acrescentar muito e ajudar a seleção”, disse.

(Com Estadão Conteúdo)