Clique e assine a partir de 8,90/mês

Dunga exalta liderança de Neymar na seleção brasileira

O treinador também criticou as categorias de base dos clubes brasileiros

Por Da Redação - 17 mar 2015, 10h29

Conhecido por ser um capitão muito sério dentro de campo, o técnico Dunga reconheceu, em entrevista ao Sportv nesta segunda-feira, que, no futebol atual, os líderes são mais extrovertidos – assim como Neymar, que é a grande referência da seleção brasileira. “O Neymar é uma liderança nova, diferente do que era antigamente, com Carlos Alberto Torres, Cafu e Gérson. Hoje é uma liderança diferente, com mais conversa e brincadeira, mas que na hora de trabalhar é sério como os outros”, disse Dunga em entrevista ao canal de televisão

Leia também:

Ranking da Fifa: Espanha deixa Top 10 e Brasil segue em 6º

Mesmo sem jogar em 2015, Valdivia é convocado para amistoso contra o Brasil

Dunga convoca seleção com Tardelli e Robinho no ataque

Continua após a publicidade

O técnico defendeu a nova geração da seleção. “Não podemos usar a Copa passada para achar que está tudo errado. O que acontece é que antes tínhamos jogadores que eram referências na Europa, marcavam gols e jogavam bem, como Ronaldo, Careca, Romário e Rivaldo. Isso não acontece mais – a não ser o Neymar”.

As categorias de base dos times brasileiros foram outro assunto tratado por Dunga, que criticou o medo excessivo que os mais novos têm em relação a lesões e a forma como encaram a fama precoce.

Antes da Copa América, a seleção brasileira fará amistosos contra França e Chile, nos dias 26 e 29 de março. A estreia na competição sul-americana será contra o Peru, no dia 14 de junho, pelo grupo C, que ainda conta com Colômbia e Venezuela. “Antes, só brasileiros e argentinos iam para a Europa. Agora, países como Colômbia e Chile também têm bons jogadores, que aprenderam a respeitar o esquema tático na Europa e se tornaram grandes ameaças”, analisou o treinador, ressaltando a dificuldade que espera enfrentar.

Neymar – Nesta segunda-feira, Neymar também deu entrevista ao Sportv e, entre outros assuntos, falou sobre não ter sido convocado em 2010, quando Dunga comandou a seleção até as quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul. O atacante disse “não ter mágoas do treinador, que soube escolher um time forte, com condições de chegar à final e ser campeão”. O próprio Neymar disse que não estava preparado para jogar na seleção naquela época. O atacante do Barcelona ainda destacou uma semelhança sua em relação a Dunga. “Não gostar de perder é uma qualidade que temos em comum”.

(Com Agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade