Clique e assine com até 92% de desconto

Dores de Juninho e reestreia de Carlos Alberto marcam o dia vascaíno

Por Da Redação 15 abr 2012, 20h06

A última rodada da fase de grupos da Taça Guanabara foi mais movimentada do que o normal para o torcedor vascaíno. Após garantir sua vaga nas semifinais da competição com a vitória por 3 a 1, sobre o Nova Iguaçu, a classificação ficou em segundo plano com a reestreia do meia Carlos Alberto no Cruz-Maltino e das preocupantes dores sentidas por Juninho Pernambucano.

Carlos Alberto foi o principal atrativo da equipe no duelo realizado neste domingo. O jogador ficou afastado do futebol por quatro meses e teve sua permanência no time assegurada após o fracasso nas negociações com clubes que demonstraram o interesse em seu futebol. Cercado pela desconfiança da torcida, o atleta conseguiu ter um bom desempenho dentro das quatro linhas e comemorou a nova oportunidade dada pela diretoria.

‘Ajudou não estar tão quente na tarde deste domingo. No aquecimento, as pernas já bambearam. É gostoso voltar a jogar após quatro meses fora. Quase marquei, faltou pouco. Se o campo fosse um pouco melhor, não criticando as instalações do Bangu, daria para carregar mais a bola e chutar melhor. Porém, o importante foi a vitória e poder participar bem do jogo’, avaliou o armador, em sua saída do gramado.

A boa atuação de Carlos Alberto nesta partida poderá amenizar um possível problema que o técnico Cristóvão Borges ganhou após o confronto. O meia Juninho Pernambucano deixou o gramado sentindo fortes dores na coxa direita e terá que passar por uma avaliação médica antes de ser liberado para o duelo com o Flamengo, nas semifinais da Taça Rio.

Caso o experiente jogador seja vetado para o clássico do próximo domingo, uma mudança tática deve ser realizada pelo treinador no time titular. No entanto, a possibilidade do polêmico jogador ser escalado entre os onze iniciais poderá crescer após a semana de treinamentos do Vasco.

‘Jogadores experientes colaboram bastante. Agora, não tem mais o que treinar. Preciso ganhar ritmo jogando. A adrenalina é outra. Estou feliz e espero que tudo dê certo. Que bom que deu sorte. O importante é competir no máximo das minhas forças, pois já temos uma partida fundamental na semifinal’, emendou o atleta.

A preocupação gerada em torno do caso Juninho deve forçar o clube a mobilizar todos os seus esforços na sua recuperação. Além do armador, o zagueiro Dedé também apresenta uma lesão na perna e continua fora da equipe nesta semana. Um exame de imagem nos próximos dias indicará a evolução em sua recuperação, mas sua participação no duelo com o Rubro-Negro ainda é incerta.

Continua após a publicidade
Publicidade