Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dois anos antes de Pequim, Bolt pensou em se aposentar

Jamaicano abandonou um prova por lesão e foi vaiado em seu país, em 2006

Homem mais rápido da história, o jamaicano Usain Bolt poderia jamais ter conquistado suas seis medalhas de ouro olímpicas e dez medalhas em Mundiais. Em entrevista ao jornal britânico The Times, ele disse que cogitou abandonar o atletismo dois anos antes de brilhar nos Jogos de Pequim – após ser vaiado na Jamaica, em 2006, ao ter um desempenho ruim numa prova do revezamento 4 x 400m. “Eu pensei: ‘O que é isso?’. Estava me sentindo muito mal. Meu mundo desabou. Pensei: ‘Essa carreira está realmente funcionando? Será que eu devo continuar? Tudo o que eu faço, não importa o quanto eu tente, não está agradando. Talvez isso não seja para mim'”.

Leia também:

Bolt fecha a temporada com segundo melhor tempo do ano

Usain Bolt planeja se aposentar após Olimpíada de 2016

​Naquela ocasião, Usain Bolt ainda não era considerado um fenômeno das pistas. Ele participava da disputa dos 4 x 400m quando sentiu uma lesão e abandonou a pista. Enquanto passava pela torcida, ouvia cada vez mais vaias. “Procurei o meu técnico na torcida, mas, à medida que chegava mais perto da arquibancada, eu ouvi uma vaia. Depois outra, e outra. O barulho foi ficando maior e maior a cada passo. Quando cheguei à lateral da pista, todos estavam me vaiando.” Mesmo com o episódio, Usain Bolt continuou no atletismo, e, além das medalhas, é o recordista mundial nos 100 e 200 metros rasos.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agência Gazeta Press)