Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Do céu ao inferno: Alecsandro é xingado, mas sai sob aplausos

O atacante Alecsandro viveu 20 minutos de vilão na noite desta quarta-feira, na goleada vascaína em São Januário. Após um golaço de Bernardo, aos oito minutos de bola rolando, ele teve a chance de ampliar o placar aos 15, quando recebeu na cara do goleiro. O centroavante, porém, mostrou falta de confiança e perdeu o lance. No contra-ataque, para piorar, o Aurora empatou.

A partir dali, a torcida pegou no pé do jogador, vaiando sempre que ele tocava na bola. Sem sorte, o avante perdeu mais dois gols, um salvo em cima da linha e outro acertando o travessão de Lanz. Mas tudo mudou aos 38.

Juninho Pernambucano levantou bola na primeira trave e, de cabeça, Alecsandro se antecipou à zaga para desviar e marcar. Seis minutos mais tarde, Julinho foi quem cruzou e o atleta cruz-maltino cabeceou no chão para fazer o 3 a 1.

Para completar, no segundo tempo, ele precisou de três minutos para dar bom passe e deixar Leandro livre para marcar o quarto, consolidando a sua redenção. Sorridente ao final do jogo, o artilheiro da Copa do Brasil, que havia saído sem palavras no intervalo, explicou sua ida do céu ao inferno.

‘Tentei caprichar para botar de esquerda e acabei passando. É um gol que eu não perco nem em treino, e o Bernardo até comentou isso comigo. Mas o grupo me deu uma força muito grande e eu acabei conseguindo me redimir’, comentou.

Sobre a reação da torcida, ele garantiu que entende os xingamentos que recebeu. ‘O torcedor é assim, todo mundo sabe. É lógico que a gente fica chateado, mas torcedor é isso, sempre vai ser movido por paixão’, disse.

Lembrando da reta final do Brasileiro, competição que o Vasco lidera com 57 pontos ganhos, dois a mais que o vice-líder Corinthians, ele prometeu o fim da má fase e afirmou que vai crescer de rendimento.

‘O artilheiro está de volta. Temos uma reta final pela frente e, pra azar dos adversários, eu estou aí de novo (risos)’, concluiu.