Clique e assine a partir de 9,90/mês

Dirigente morre 3 dias após ‘minuto de silêncio’

Antônio Gilberto Amaral da Silva, presidente do Jabaquara, morreu na madrugada desta quarta, mas já havia recebido homenagem póstuma do clube de Santos

Por da redação - 27 jul 2016, 16h01

O acontecimento seria cômico se não fosse trágico. O presidente do Jabaquara Atlético Clube, Antônio Gilberto Amaral da Silva morreu na madrugada desta quarta-feira, aos 70 anos, em Santos, três dias depois de uma gafe da equipe ganhar destaque no país.

No domingo, foi anunciada a morte do dirigente e respeitado um minuto de silêncio em sua homenagem no início da partida entre a equipe de Santos e o Grêmio Prudente, pela Série A2 do Campeonato Paulista. Ainda no intervalo, o locutor do estádio Espanha retificou a informação: disse que Antônio Gilberto Amaral da Silva seguia internado, mas vivo.

Silva estava na UTI da Santa Casa de Santos desde a última sexta-feira, em decorrência de complicações de uma cirurgia na coluna. Ele chegou a jogar profissionalmente pelo Jabaquara na década de 60. Silva era presidente do clube desde setembro do ano passado, quando assumiu o posto de Manoel Rodriguez Gonzales, que morreu de câncer.

Publicidade