Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Direção da prova define percurso da São Silvestre

As inscrições para a tradicional Corrida Internacional de São Silvestre continuam abertas no site oficial da prova (www.saosilvestre.com.br). A segunda das quatro fases de inscrição, que corresponde a dois quartos do previsto de inscritos, já foi atingida.Em sua 87edição, a prova terá um total de 25 mil corredores para o percurso de 15 quilômetros pelas ruas de São Paulo.

A partir deste ano, a chegada será no Obelisco, ao lado do Parque do Ibirapuera e não mais no prédio da Fundação Cásper Líbero. Os atletas cruzarão a Avenida Paulista pela Avenida Brigadeiro Luiz Antônio e finalizarão o percurso em frente ao Mausoléu dos Revolucionários de 1932, local onde se encontram depositados os restos mortais de Cásper Libero e onde haverá, a partir deste ano, um evento em homenagem ao idealizador da Corrida Internacional de São Silvestre.

Segundo a direção da prova, houve uma necessidade técnica para a mudança.’Os eventos na Paulista chegaram ao seu limite de capacidade física, é impossível manter a chegada da Corrida na Paulista junto com o inicio do Reveillón e manter todos os serviços ativos como hidratação, devolução de chip, entrega de lanches e medalhas e área de apoio a equipes’, explica Julio Deodoro, Diretor Geral da Corrida de São Silvestre.

A mudança proporcionará uma facilidade de deslocamento paratodos os corredores participantes e permitirá que a entrega das medalhas de participação volte a ser feita após a prova, já que a área de dispersão também será maior.’São anos de estudo e reuniões para chegar a esta decisão. Segurança e conforto devem ser considerados como premissas’, finaliza Julio.

Mudanças do percurso -Realizada anualmente no dia 31 de dezembro, a Corrida de São Silvestre sofreualterações em outras dez oportunidades ao longo de sua história (seja em relação à horário, percurso ou número de inscritos), sempre com a finalidade de adaptação ao crescimento e às necessidades de uma grande metrópole, como São Paulo. Para a organização da prova, a mudança beneficiará os atletas, que terão mais segurança no novo local de encerramento da corrida e um maior espaço para dispersão, além de passarem a contar com melhores condições de recuperação e atendimento na chegada.

Julio Deodoro acredita que as corridas devem se adaptar às necessidades das cidades sem perder o nível técnico e a tradição. ‘Algumas maratonas do calendário mundial têm subidas e descidas no percurso muito mais acentuadas que a da Corrida de São Silvestre. Boston (EUA) é um exemplo disso e tem mais de 40.000 pessoas’, conta o diretor.

‘A São Silvestre tem e terá um percurso equilibrado que atenda a todas as normas técnicas da IAAF e da AIMS’, confirmou Rodolfo Eichler,único medidor nível A da autoridade máxima do atletismo mundial (IAAF) no Brasil. Para técnicos e treinadores de elite como Moacir Marconi ?Coquinho’ os atletas conseguirão se adaptar as novas características da prova.’O treinador e o atleta têm que estudar o percurso e trabalhar dentro do melhor programa para sua corrida’, afirma Moacir Marconi, o Coquinho.

A organização da prova acredita também que a mudança permitirá que a São Silvestre cresça cada vez mais. ‘A cada edição o número de participantes vem aumentando e a chegada no Ibirapuera vai permitir que a prova cresça tanto em quantidade quanto em qualidade. E nossa projeção é que em 2014, ano da Copa do Mundo no Brasil, quando a São Silvestre completará 90 anos de realização ininterrupta teremos um numero recorde de 40.000 participantes e até mais’, sentencia Júlio Deodoro, que prevê um crescimento gradativo até lá. E garante que a grande e mais importante tradição: ‘que é 31 de dezembro, dia de São Silvestre, que dá nome à mais importante prova pedestre da América Latina, não muda e não mudará’.

Para que a tradição do percurso com algumas das principais vias da cidade – como Paulista, Rio Branco, Ipiranga, São João, Conselheiro Crispiniano, Praça Ramos de Azevedo, Viaduto do Chá, Largo do Paissandu e Libero Badaró – possa ser mantida e a entrega da medalha seja feita após a prova, assim como haja hidratação, lanche e dispersão mais seguras, outros ajustes estão sendo estudados, a pedido da Fundação Cásper Líbero, e serão divulgados em breve.

Serviços disponíveis aos atletas -Assim como acontece nas Maratonas de Nova Iorque e de São Paulo e na Meia Maratona do Rio, ônibus gratuitos levarão os volumes dos atletas do local da largada à chegada. ‘Os ônibus levarão os pertences dos atletas da Paulista ao Ibirapuera, em um trajeto de três quilômetros, oferecendo maior comodidade aos participantes. É uma operação padrão e muito comum’, afirma Julio Deodoro.

Haverá três dias de entrega de kit (Rua Abílio Soares, 1300). O processo será totalmente informatizado. Além disso, a Expo São Silvestre oferecerá produtos e serviços relacionados ao mundo da corrida.

Cada atleta inscrito receberá, no kit, número de peito, chip de cronometragem descartável, manual eletrônico e brindes dos patrocinadores, como camiseta em poliamida, squeeze, suplementos, entre outros.

Durante a prova, haverá nove postos de água, isotônico, grande estrutura de apoio médico e orientação. A estrutura do evento segue respeitando um padrão internacional, com áreas de dispersão espaçosas, de apoio às equipes e guarda-volume móvel.

Todos que completarem o percurso receberão uma medalha de participação e poderão baixar, no site do evento, após a publicação do resultado oficial, o certificado eletrônico de conclusão, fotos e vídeos gratuitos da chegada.

A competição terá os seguintes horários de largada:

– 15 horas – Cadeirantes

– 15h10min – Atletas com deficiência

– 17h10min – Elite Feminina A e B

– 17h30min – Elite Masculina e demais corredores

Como foi no ano passado – Em 2010, o brasileiro Marílson Gomes dos Santos levou o tricampeonato da São Silvestre com o tempo de 44min07. Os quenianos Barnabas Kiplagat Kosgei (44min49) e James Kwambai (45min15) completaram o pódio.No feminino, a queniana Alice Timbilili bateu o recorde da prova com 50min19s.

Resultados:

Masculino:

1 – Marílson Gomes dos Santos (BM&FBovespa) – 44min02s

2 – Barnabas Kiplagat Kosgei (Quênia-Fila) – 44min50s

3 – James Kwambai (QUE- Nike) – 45min16s

4 – Giovani dos Santos (Pé de Vento/Grancursos) – 45min35s

5 – Emmanuel KipkemmeiBett (Quênia-Luasa) – 45min42s

6 – Diego Alberto Colorado (Colômbia) – 45min48s

7 – MathewKiptooCheboi (Quênia-Fila) – 45min58s

8 – Mark Korir (Quênia-Fila) – 45min59s

9 – Anoé dos Santos Dias (Artrop Industrial) – 46min06s

10 – Cosme Anselmo de Souza (Marinha do Brasil) – 46min09s

Feminino:

1 – Alice Timbilili (Quênia-Nike) – 50min19s

2 – Simone Alves da Silva (BM&FBovespa) – 50min25s

3 – Eunice Kirwa (Quênia-Fila) – 51min42s

4- Cruz Nonata da Silva (BM&FBovespa) – 51min51s

5 – Diana Judith Andrade (Equador-Gatorade) – 52min36s

6 – Fabiana Cristine da Silva (BM&FBovespa) – 53min20s

7 – Marily dos Santos (Mizuno/Multi) – 53min43s

8 – ChemtaiRionotukei (Quênia-Luasa) – 53min56s

9 – Sueli Pereira Silva (EjaJo-Grancursos) – 54min10s

10 – MaurineJelagatKipchumba (Quênia) – 54min28s

Cadeirantes

1 – Fernando Aranha Rocha – 46min20s

2 – Jaciel Antonio Paulino (AddfilaFastWheels) – 46min24s

3 – Carlos Neves de Souza (AddfilaFastWheels) – 50min31s

Sobre a São Silvestre: A 87São Silvestre é uma realização da Fundação Cásper Líbero e promoção da Gazeta Esportiva Net e TVGlobo. A prova tem patrocínio de Caixa, Fisk, Correios e Rexona, apoio do Hcor São Paulo, Montevérgine, Gatorade, Café 3 Corações, Probiótica, TAM Viagens, Green CO2-Neutralização de carbono, Rádio Globo e CBN e apoio especial do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura de São Paulo. A supervisão será da CBAt, FPA, IAAF e AIMS.