Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Diego Maradona é acusado de apoiar Maduro por dinheiro

Atriz venezuelana diz que ex-craque argentino é pago para defender o chavismo

“É lamentável que Maduro precise buscar uma estrela de fora para apoiar sua campanha, porque todos os artistas estão a favor de Capriles. Todos, todos”, disse a atriz

Quem ficou perplexo com o discurso bizarro de Diego Maradona ao anunciar seu acordo para comentar a Copa do Mundo para o canal Telesur, idealizado por Hugo Chávez, agora pode começar a entender um pouco melhor o que motivou o ex-craque a se apresentar como “um soldado da Venezuela”. De acordo com Catherine Fulop, uma atriz e apresentadora nascida na Venezuela e naturalizada argentina, Maradona está lucrando alto ao defender publicamente o governo do presidente Nicolás Maduro. “O macaco só se mexe quando vê o dinheiro. Não venha me dizer que tudo aquilo foi de graça”, afirmou Catherine em entrevista a uma TV argentina. A atriz, que ficou famosa na América Latina por seu papel na série Abigail, disse ainda que Maradona foi chamado a viajar à Venezuela para dar apoio ao sucessor de Chávez na campanha eleitoral venezuelana de 2013. “Nenhuma celebridade venezuelana aceitava apoiar Maduro”, disse ela, que é casada com o argentino Osvaldo Sabatini, irmão da ex-tenista Gabriela Sabatini.

Leia também:

Maradona comentará a Copa por canal criado por Chávez

Nascida em Caracas, a atriz já teve um programa esportivo no canal Fox e hoje mora em Buenos Aires. Ela criticou a participação de Maradona em eventos de apoio ao chavismo. “É lamentável que Maduro precise buscar uma estrela de fora para apoiar sua campanha, porque todos os artistas estão a favor de Henrique Capriles. Todos, todos”, disse, citando o líder da oposição. Ela acredita que o ídolo argentino se deixou influenciar não só pelo dinheiro, mas também pelo fascínio que tem por Fidel Castro e pelo regime cubano, aliados de Chávez e Maduro. Maradona se disse “chavista” em 2009, ao participar de um ato pelo décimo aniversário da chegada do ex-ditador ao poder. No mês passado, ao fechar o contrato com a Telesur, ele aproveitou a oportunidade de aparecer num vídeo que anunciava sua contratação e disparou contra os oposicionistas da Venezuela, dizendo que não cairia “nas mentiras criadas pelos imperialistas”. Ao atacar os opositores de Maduro (“Esses senhores me dão asco”), Maradona repetiu palavras de ordem dos chavistas: “Creio na Venezuela. Viva Chávez, viva Maduro e avante!”

(Com agência EFE)