Clique e assine a partir de 8,90/mês

Dez segundos atrás dos rivais, nadador da Etiópia é ovacionado

Mesmo chegando em último, Robel Kiros Habte recebeu o carinho da torcida na Rio-2016

Por Da redação - Atualizado em 9 ago 2016, 19h11 - Publicado em 9 ago 2016, 19h09

A Etiópia é um país conhecido por seus fundistas no atletismo. Nas doze participações em Jogos Olímpicos até a Rio-2016, faturaram impressionantes 45 medalhas em provas de corrida de longas distâncias.

LEIA TAMBÉM
Anti-heróis olímpicos: ‘o importante é competir’

Nesta terça-feira, porém, um atleta do país chamou atenção em outra modalidade: Robel Kiros Habte, de 24 anos, participou da prova classificatória dos 100m livre da natação. “Sou o único nadador profissional da Etiópia. Somos um país de corrida – as pessoas crescem e só pensam em correr. Gosto da natação, mas o que eu queria era ser diferente”, admitiu.

Diferente, Habte saiu do Estádio Aquático ovacionado pela torcida, mesmo terminando a prova quase 10 segundos atrás dos adversários. “Não foi meu [melhor] tempo hoje. Faço 59s, mas nadei 1min04. Não sei dizer por quê. Mas é uma edição de Jogos Olímpicos, é grande, e eu estou muito feliz”, disse. 

HISTÓRIA SE REPETE O fracasso às avessas do etíope Robel Kiros Habte lembra o que aconteceu com Eric Moussambani nos Jogos de Sydney, em 2000. O atleta da Guiné Equatorial também disputou a eliminatória dos 100 m livre.

Usando uma pequena sunga azul-clara justamente na era dos supermaiôs. Moussambani saltou na piscina sem concorrentes – seus adversários foram desclassificados por queimar a largada. Ele terminou a prova em 1min52s72.

Moussambani, diferentemente de Habte, que é nadador profissional, havia conhecido a natação poucos meses antes da Olimpíada que participou. A oportunidade surgiu por meio de um convite do Comitê Olímpico Internacional feito a nações pouco desenvolvidas no esporte.

 

Continua após a publicidade
Publicidade