Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Dez clássicos inesquecíveis entre Real Madrid e Barcelona

Por Da Redação 15 abr 2011, 11h32

Os quatro jogos em apenas dezoito dias entre Real Madrid e Barcelona, a partir de sábado, prometem marcar a história do confronto – principalmente as duas partidas que decidirão uma vaga na final da Liga dos Campeões. A seguir, outros clássicos que ficaram para sempre na memória dos torcedores das duas equipes.

«

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10

»

O show de Ronaldinho (2004)

3×0

para o Barça Ronaldinho Gaúcho vivia o auge de sua carreira – naquele mesmo ano, foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa, prêmio que conquistaria novamente no ano seguinte. Em partida disputada no Santiago Bernabéu, o brasileiro marcou dois gols (o primeiro foi de Eto’o) e saiu aplaudido de pé pela torcida adversária.

Quebra de jejum na Liga (2002)

2×0

para o RealO Real Madrid não vencia o Barcelona no Camp Nou há 19 anos. Na primeira partida das semifinais da Liga dos Campeões, Zidane e McManaman garantiram a vitória por 2 a 0. Um empate em casa garantiu a classificação para a final do torneio. O Real foi campeão depois de vencer o Bayer Leverkusen na final.

Uma virada saborosa (2009)

6×2

para o BarçaJogando em casa, o Real Madrid saiu na frente com gol do argentino Higuain, mas o Barça respondeu com três gols antes mesmo do intervalo. Foi uma das maiores goleadas do rival no Santiago Bernabéu. E a vitória praticamente assegurou o título de campeão espanhol para o Barça naquela temporada.

Português na mira (2002)

0x0

em BarcelonaEm 2000, Luís Figo, ídolo do Barça, se transferiu para o Real, causando a ira da torcida catalã. Dois anos depois, em uma partida que terminou empatada, Figo foi duramente hostilizado pelo público no Camp Nou. Alvo de objetos diversos sempre que se aproximava da lateral do campo, Figo chegou a ver uma cabeça de porco sendo arremessada contra ele.

O jogo das garrafas (1968)

Continua após a publicidade

1×0

para o BarçaOs catalães venceram a final da Copa do Rei em pleno Santiago Bernabéu. Mas os madridistas reclamaram de um pênalti não marcado pelo árbitro. Os torcedores arremessaram garrafas e outros objetos ao gramado para protestar. A chuva de vidros foi responsável pela proibição de vendas de garrafas em todos os estádios espanhóis.

Banana brasileira (1998)

3×2

para o BarçaO Barcelona não brilhou, mas arrancou uma vitória na casa do arquirrival. O time catalão chutou pouquíssimo ao gol, mas foi eficaz nos raros disparos que conseguiu efetuar. A partida estava empatada em 2 a 2 quando o brasileiro Giovanni marcou o terceiro gol e saiu dando “bananas” para torcida adversária. Os catalães, é claro, adoraram.

Empate espetacular (2007)

3×3

em BarcelonaNem sempre um empate é sinônimo de jogo ruim. Com os dois times eliminados da Copa dos Campões, vencer o clássico no Campeonato Espanhol era obrigação. Messi, que tinha apenas 19 anos, e Van Nistelrooy fizeram dois gols cada logo no primeiro tempo. Na segunda etapa, Sergio Ramos fez o terceiro do Real, mas Messi voltou a empatar, aos 45 minutos.

Espírito esportivo (2008)

4×1

para o RealFaltando apenas duas rodadas para o fim do Campeonato Espanhol, o Real Madrid já era o campeão da temporada. Ao entrar no gramado do Bernabéu, o time merengue foi recebido com palmas em um corredor formado pelos jogadores do Barcelona. Com Ronaldo no banco de reservas, o Real Madrid não retribuiu a gentileza e goleou o rival por 4 a 1.

A marca de Romário (1994)

5×0

para o BarçaA equipe do Barcelona ficou conhecida como “time dos sonhos” no começo da década de 1990. Treinada por Cruyff, ídolo nos anos 1970, tinha nomes como Zubizarreta, Michael Laudrup e Romário. Em 1994, num superclássico no Camp Nou, os catalães venceram por 5 a 0, com três gols do baixinho tetracampeão com o Brasil na Copa daquele mesmo ano.

O troco, um ano depois (1995)

5×0

para o RealA vingança de Madri não demorou muito tempo. Na temporada seguinte, em 1995, o time merengue venceu no Santiago Bernabéu com o mesmo placar, 5 a 0. Na época, o jogador mais comentado era Michael Laudrup, que havia trocado o Barcelona pelo Real Madrid. Mas o destaque da partida foi Ivan Zamorano – o chileno fez os três primeiros gols da partida antes do intervalo.

Continua após a publicidade
Publicidade