Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Destruição na Arena Castelão causa prejuízo de R$ 50.000

Torcedores quebraram cadeiras e gradis de um dos 12 estádios da Copa 2014

A revolta de torcedores do Ceará e do Fortaleza com os empates dos dois times em jogos no fim de semana, provocando destruição na Arena Castelão, resultaram num prejuízo calculado em 50.000 reais. Foram quebradas 116 cadeiras, 52 gradis de proteção, sete peças de porta papel higiênico, um de porta quiosque, uma de porta sabonete e uma de porta toalha do estádio, um dos 12 que receberão jogos da Copa do Mundo de 2014.

O secretário especial da Copa de 2014, Ferruccio Feitosa, desmentiu informação da polícia, que tinha calculado 3.000 cadeiras quebradas pela torcida do Fortaleza no Castelão, no domingo. “Não cabe à polícia fazer este tipo de levantamento”, afirmou Feitosa. De acordo com ele, foram quebradas 82 cadeiras no empate em 2 a 2 entre o Fortaleza e o Sampaio Corrêa, resultado que eliminou o time cearense ainda na primeira fase da Série C. Os estragos causados pela torcida foram orçados de 35.000 a 40.000 reais. “Vamos cobrar do Fortaleza este montante”, disse o presidente da Arena Castelão, Sílvio Andrade.

No empate entre Ceará e Paraná, por 1 a 1, no sábado, também na Arena Castelão, pela 29ª rodada da Série B, que impediu o time cearense de entrar no G4, foram quebradas 34 cadeiras do estádio. A diretoria do clube já pagou o prejuízo de 10.250 reais.

Leia também:

Após eliminação, torcedores do Fortaleza destroem cadeiras na Arena Castelão

Jogo do Brasil terá protesto dentro da Arena Castelão

Castelão, primeiro estádio da Copa, é inaugurado no Ceará

“Trabalhamos para não termos atos de vandalismo, mas aconteceu”, disse Feitoso. De acordo com ele, o estrago seria pior, não fosse o sistema de vigilância. “As 240 câmeras de monitoramento acabaram inibindo. Se não tivéssemos uma vigilância tão agressiva, certamente teríamos problemas maiores, a exemplo do que aconteceu no ano passado na eliminação do Fortaleza contra o Oeste, de Itápolis, quando o Estádio Presidente Vargas virou um campo de guerra.”

A promessa é que, para o jogo da próxima sexta-feira, entre Ceará e América-MG, pela 31ª rodada da Série B, todas as cadeiras que foram quebradas já estejam repostas na Arena Castelão.

(Com Estadão Conteúdo)