Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Destino de Lucas deve ser o Paris Saint-Germain

Empresário do atleta esteve em Paris e deixou situação praticamente acertada

Por Da Redação 5 ago 2012, 23h30

Enquanto a imprensa internacional se ocupa das investidas do Manchester United, um novo gigante está prestes a contratar o meia são-paulino Lucas: o Paris Saint-Germain, o mais novo rico da Europa. O empresário do atleta, Wagner Ribeiro, esteve na capital francesa neste final de semana para sacramentar a negociação e deixou a situação praticamente acertada para a assinatura do contrato.

Leia também:

Leia também: Corinthians empata no 0 a 0 e frustra Tite

Os valores não foram confirmados, mas devem ultrapassar as 30 milhões de libras (90,3 milhões de reais) oferecidos pelo time inglês. Dinheiro não falta ao PSG. Desde que um fundo do Catar comprou o clube no ano passado, o Paris Saint-Germain começou a investir pesado em contratações para se tornar uma potência capaz de conquistar os principais títulos. Para a próxima temporada, por exemplo, tirou o brasileiro Thiago Silva e o sueco Ibrahimovic do Milan e comprou o argentino Lavezzi, que era do Napoli.

Esse não é o único ponto a favor dos franceses. Embora enxergue no Manchester United uma das principais equipes do mundo, Lucas não está convencido de morar na cidade inglesa, basicamente industrial e pequena se comparada a outros centros interessados em seu talento (Madri, Milão, Londres e agora Paris).

As conversas ficam facilitadas pelo fato de o responsável pelas contratações do Paris Saint-Germain ser Leonardo, que tem excelente relação com Wagner Ribeiro. Quando era dirigente do Milan, foi o principal articulador da contratação de Kaká, à época agenciado pelo agente. Ele enxerga em Lucas um dos nomes de maior potencial para o futuro.

Diretoria – A diretoria são-paulina não tem pressa de resolver o futuro do garoto e garante que depois da Olimpíada de Londres ele voltará ao Brasil e jogará no clube tricolor ao menos até o fim do ano. O discurso oficial pode acabar caindo como uma luva em relação à negociação com o PSG. Para acomodar o são-paulino no elenco, os franceses precisarão se desfazer de um jogador extra-comunitário, já que a cota de estrangeiros já foi preenchida e Lucas não tem passaporte europeu. Dessa forma, ele pode continuar no Morumbi até o final do ano e só se apresentar ao novo clube em janeiro.

O presidente Juvenal Juvêncio se mostrou surpreso com a notícia da transferência para o PSG e não quis confirmar nenhuma conversa, mas admitiu que os franceses estão bastante interessados. “Não sabia dessa questão do Ferguson, mas amanhã (hoje) certamente vou me interar. Quando digo que não existe nada, não quer dizer que algo possa surgir”, despistou. No São Paulo, embora ninguém fale abertamente, todos dão como certa a saída do meia.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade