Clique e assine com 88% de desconto

Derrota para o Fluminense deixa evidente carências do Vasco

Por Da Redação - 27 fev 2012, 17h01

Será que os cem por cento de aproveitamento ao longo de quase toda a Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, fizeram mal ao Vasco? É essa a pergunta que os vascaínos estão tentando responder nesta segunda-feira, ainda sob o amargo efeito da derrota de 3 a 1 para o Fluminense, além da perda do título e da vaga na decisão do Estadual. O tropeço de domingo deixou evidente a necessidade de reforçar o elenco. Afinal de contas, as duas derrotas até o momento aconteceram justamente nas partidas mais importantes do Cruzmaltino nesta temporada.

Antes de perder a final da Taça Guanabara, o Vasco foi superado em 2012 apenas pelo Nacional do Uruguai, dentro de casa, por 2 a 1, na estreia na Copa Libertadores. Os dois tropeços preocupam a torcida, que tinha ficado animada com os 2 a 1 diante do Flamengo pelas semifinais da Taça Guanabara. O técnico Cristóvão Borges, porém, prega cautela aos pessimistas de plantão.

‘Não podemos criar dúvidas em relação ao trabalho que vem sendo desempenhado pelo Vasco. Todos nós estamos muito chateados, pois gostaríamos de estar comemorando o título neste momento. Mas infelizmente isso não foi possível. Porém, não há motivo para ficarmos desanimados, até porque teremos ainda mais trabalho pela frente’, afirmou o treinador em entrevista coletiva depois do jogo.

Mesmo tentando se manter otimista, Cristóvão reconheceu que sua equipe encontrou muitas dificuldades quando enfrentou o Fluminense em um dia inspirado.

Publicidade

‘No primeiro tempo, tivemos dificuldades para acertar a marcação pela movimentação feita pelo Deco e o Thiago Neves. Também tínhamos problemas na saída de bola. Antes do jogo, sabíamos das dificuldades do Fluminense na bola alta. Durante a partida, tivemos oportunidades, era uma coisa que esperávamos. Atrás do marcador, sabíamos que teríamos mais cruzamentos. Então, deixei o Nilton fixo atrás e liberei o Dedé para ficar na área do Fluminense e tentar marcar algum gol’, afirmou Cristóvão.

O treinador também reconheceu que o elenco precisa ser reforçado.

‘Acredito que temos um elenco de bom nível, mas logicamente ele precisa ser qualificado, pois a temporada é muito desgastante, e temos várias competições importantes pela frente’, disse Cristóvão.

Sobre reforços, o primeiro nome que deverá ser anunciado, ainda nesta semana, é o do lateral direito Pará, que vem sendo pouco aproveitado pelo técnico Muricy Ramalho no Santos. O clube paulista já aceitou ceder o atleta por empréstimo até o fim do ano e as bases salariais também já foram acertadas, restante realmente apenas o anúncio oficial.

Publicidade

Com o elenco que ainda tem em mãos, Cristóvão começa a pensar na estreia na Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, diante do Bonsucesso, às 19h30 (de Brasília) de quarta-feira, em São Januário, no Rio de Janeiro. O elenco voltou aos treinos na manhã desta segunda-feira. O clima no clube era de total desânimo, com atividades em campo apenas para os reservas e para aqueles que não foram relacionados para a decisão.

Para o duelo contra o Bonsucesso, Cristóvão terá a sua disposição o meia argentino Matías Abelairas e o atacante equatoriano Carlos Tenório, que não foram inscritos a tempo de disputarem a Taça Guanabara. Além deles, o volante Rômulo e o atacante Eder Luis, ambos retornando de lesão, podem ser relacionados, entrando no decorrer do segundo tempo a fim de pegarem ritmo para a disputa do jogo da próxima terça-feira, diante do Alianza Lima, do Peru, em São Januário, pela disputa da Copa Libertadores. Nesta terça-feira, Cristóvão deverá definir a equipe que vai participar do duelo contra o Bonsucesso.

Publicidade