Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Deputado Popó tenta criar Confederação Brasileira de MMA

Ex-campeão de boxe elogia organização de evento de UFC, que 'rende milhões numa só noite'. Mas afirma que seus colegas na Câmara querem proibir as lutas

Por Davi Correia 8 jul 2011, 08h11

“O UFC é muito bem organizado, não surgiu de ontem para hoje. Tem deputado querendo proibir esse tipo de luta, por achar violenta demais”, diz Popó

Aposentado do boxe há quase cinco anos, Acelino Popó Freitas continua sendo uma das referências brasileiras no esporte. Agora deputado federal (PRB-BA), o ex-campeão da categoria dos Leves pela Organização Mundial de Boxe assiste lutas de Artes Marciais Mistas no seu tempo livre. O UFC, campeonato mais conhecido de MMA, é um dos preferidos de Popó, que tem projeto tramitando na Câmara, para criar a Confederação Brasileira de MMA. Mas alguns deputados não aceitam a luta como esporte e tentam proibi-la no Brasil.

Popó destaca a organização dos eventos de lutas marciais. “O UFC é muito bem organizado, não surgiu de ontem para hoje. O sucesso é comprovado, rende milhões numa só noite, e é o sonho dos melhores atletas.” Para Popó, o melhor brasileiro no UFC é Junior Cigano dos Santos, peso-pesado especialista em boxe, que deve enfrentar o americano Cain Velasquez na disputa pelo cinturão. “O Cigano mostra que a base do esporte está no boxe. Ele tem muita qualidade.” Leia também: Saiba como o MMA nocauteou o boxe em oito golpes O deputado já pensa em maneiras de incentivar o MMA no Brasil. “Quero fazer a Confederação Brasileira junto com o Carlão Barreto, ex-lutador. Só estou ajudando, ele vai cuidar de tudo. Tem deputado querendo proibir esse tipo de luta, por achar violenta demais.” Barreto é ex-lutador, foi árbitro, professor de MMA e hoje é comentarista em um canal fechado brasileiro. Ele diz que a intenção do projeto é beneficiar apenas o atleta. “Teremos a oportunidade de trabalhar o esporte para o atleta, o foco é somente o atleta.” Ele diz ainda que a inspiração para o projeto vem de outro estilo de luta, o judô. “É uma categoria extremamente organizada, bem trabalhada na base, e conseguem ótimos patrocínios.” No futuro, Barreto prevê que atletas brasileiros de MMA possam ter auxílio do governo para continuar como profissionais. “O atleta de MMA é como de qualquer outro esporte, inclusive com, direito a bolsa atleta.”

Publicidade