Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Denilson ‘passa’ Rhodolfo na escala de capitães e agradece confiança

Antes de o Arsenal prorrogar seu empréstimo até a metade do ano que vem, Denilson contou ter o sonho de ser capitão do São Paulo. Realizou seu desejo contra os reservas do Coritiba, quando Rogério Ceni, Luis Fabiano e Rhodolfo estavam vetados, e, nesse domingo, mesmo com Rhodolfo em campo, voltou a usar a faixa. E agradeceu aos dirigentes.

‘É uma responsabilidade muito grande ser capitão na ausência do Rogério Ceni e do Luis Fabiano, mas é uma felicidade muito grande’, comemorou o camisa 15, que relata ter contado com o auxílio de Rhodolfo independentemente da tarja durante a vitória sobre o Figueirense.

‘Ali em campo, precisamos nos ajudar. O Rhodolfo é um dos líderes do grupo, sempre conversamos para nos entendermos. É um fator para buscar sempre o melhor e conquistar sempre os três pontos’, ensinou, celebrando a mudança de status, já que, há um ano, era criticado por receber muitos cartões.

‘Para mim, não é novidade, sempre acreditei no meu trabalho e no meu potencial’, declarou. ‘No ano passado, aconteceram muitas coisas que não foram agradáveis, mas neste ano dei a volta por cima, mostrei meu potencial e agradeço ao São Paulo por ter acreditado em mim até o fim.’

E o jogador, em campo, também tem se destacado mais por sua qualidade e vibração. Nesse domingo, o Tricolor, com um a mais, parecia ter os três pontos garantidos, mas Denilson foi até a torcida são-paulina presente no Orlando Scarpelli para gritar de alegria pelo gol de Willian José nos acréscimos, o segundo do triunfo por 2 a 0.

‘Foi uma alegria muito grande. Eles poderiam fazer gol a qualquer momento. Aquele gol me deu mais tranquilidade, eu já tinha corrido bastante, estava desgastado. Não foi um desabafo, foi pelo que aconteceu depois de empatarmos com o Palmeiras e perdermos do Vasco. Precisávamos dos três pontos e eles foram fundamentais’, afirmou.