Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

De volta, Murilo cobra reação do Brasil na Liga Mundial

Por AE

Katowice, Polônia – De fora da primeira semana da Liga Mundial, Murilo volta a jogar pela seleção brasileira masculina de vôlei nesta sexta-feira, na segunda etapa do Grupo B do torneio, que será disputada na Polônia, em Katowice. Ciente de que a equipe precisa se recuperar imediatamente, o ponteiro ressaltou a necessidade do Brasil conquistar ao menos duas vitórias em três jogos.

“Precisamos de, pelo menos, duas vitórias aqui para que o time fique bem no grupo e para pensarmos em uma evolução mais para frente. Teremos, ainda, um fim de semana no Brasil e outro na Finlândia, queremos muito jogar a fase final da Liga Mundial e tentar ganhar o décimo título”, afirmou Murilo.

Na primeira semana da Liga Mundial, o Brasil somou apenas cinco pontos ao conquistar apenas uma vitória (3 a 1 sobre a Finlândia) em três jogos, com duas derrotas em jogos de cinco sets (Polônia e Canadá), o que o deixou apenas em terceiro lugar no Grupo B. De fora desses duelos em razão de uma lesão no ombro, Murilo revelou frustração por não ter participado dessas partidas e espera ajudar a equipe a ter um desempenho melhor.

“Ficar de fora provoca um sentimento de frustração, já que o time não jogou como queremos que jogue, a minha vontade era ajudar e, infelizmente, não podia. Falei bastante com os jogadores por mensagem e pelo telefone para tentar ajudar como dava. Sabemos que, neste final de semana, precisamos jogar melhor do que foi no Canadá”, disse.

Segundo Murilo, os tropeços aumentaram a motivação da seleção brasileira para os próximos compromissos na Liga Mundial. “As derrotas fazem pensar e refletir e, com isso, me fazem tentar melhorar. Precisamos tirar lições dos resultados negativos, mas não posso deixar de falar que elas são muito decepcionantes. Por isso, no dia seguinte, acordo querendo treinar ainda mais, jogar ainda melhor para que aquele sentimento não se repita tanto. As derrotas têm um aspecto importante, mas não podem se tornar uma rotina”, concluiu.