Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

De virada, Santos supera campo sintético e bate Juan Aurich-PER

Com uma atuação segura, o Santos superou as dificuldades de atuar em um gramado sintético para virar o jogo sobre o Juan Aurich (Peru), vencendo por 3 a 1, na noite desta quinta-feira, no Estádio Elías Aguirre, em Chiclayo. Fucile, Ganso e Borges marcaram os gols da vitória dos brasileiros, em duelo válido pela terceira rodada do grupo 1 da Copa Libertadores da América.

O resultado sobre os peruanos levou o Peixe para a segunda colocação da chave. Agora, os santistas somam seis pontos, mesma pontuação de Internacional-RS e The Strongest (Bolívia). Os gaúchos lideram, em função do saldo positivo de cinco gols. O Alvinegro praiano tem três gols de saldo positivo, enquanto os bolivianos têm três negativos.

Os dois clubes voltam a se enfrentar pela Libertadores na próxima quinta, às 22 horas (horário de Brasília), no Pacaembu.

O jogo – Se aproveitando do fato de conhecer o gramado sintético de seu estádio, o Juan Aurich iniciou a partida sufocando o Santos. Logo aos quatro minutos, o goleiro Rafael foi obrigado a trabalhar em cobrança de falta de Valencia. No minuto seguinte, o arqueiro do Peixe foi obrigado a mostrar serviço novamente. O centroavante Luis Tejada soltou a bomba e Rafael, bem colocado, fez a defesa parcial. No rebote, Kahn estava impedido.

Melhor no jogo, o time peruano não demorou para transformar a sua pressão em gol. Aos 14, Kahn cruzou pela esquerda, o panamenho Tejada ganhou na força física do zagueiro santista Durval, fez o giro e emendou um chute forte, no ângulo esquerdo de Rafael, abrindo o placar para o Juan Aurich.

Após o gol e ultrapassada a metade do primeiro tempo, a equipe alvinegra começou a se ambientar ao piso artificial do Elias Aguirre. Desta forma, o Santos chegou ao empate, aos 35, quando o lateral direito Fucile aproveitou o fato de Borges não ter conseguido dominar a bola lançada por Juan e, de perna esquerda, o jogador uruguaio balançou as redes peruanas.

O gol animou o Peixe, que com maior posse de bola, continuou empurrando os donos da casa para o seu campo de defesa. Com isso, a virada não demorou para acontecer. Aos 39, o goleiro Penny esperou a cobrança de falta de Neymar, mas Paulo Henrique Ganso se antecipou e bateu, com perfeição, no ângulo direito do arqueiro do Juan Aurich, ajudando os santistas a irem para o intervalo em vantagem no marcador: 2 a 1.

Na frente no placar, o time santista passou a jogar com mais tranquilidade no segundo tempo, procurando explorar a necessidade dos donos da casa em procurar reverter a vantagem do Alvinegro Praiano.

E, logo nos primeiros minutos da etapa complementar, o Santos teve três chances para ampliar a sua vantagem. Logo a um minuto, Borges aproveitou vacilo de Guadalupe, antes de soltar a bomba, para defesa de Penny. O goleiro do Juan Aurich voltou a trabalhar bem dois minutos depois, ao evitar a finalização de Neymar, após belo lance individual da Joia. Só que aos oito, Penny quase entregou o terceiro gol ao Peixe, errando uma saída de bola. Ganso arriscou da intermediária, sobre o gol peruano.

A situação dos santistas ficou ainda melhor quando o Juan Aurich ficou com um a menos. Com 12, o zagueiro Guadalupe recebeu o seu segundo cartão amarelo, após matar o contra-ataque dos brasileiros, puxado por Arouca.

Os alvinegros quase ampliaram aos 20, quando Borges recebeu de Neymar, após tabela com Ganso, e arriscou de perna esquerda, mas o chute passou ao lado gol dos donos da casa.

No entanto, na oportunidade seguinte, Borges não perdoou. Aos 23, Ganso foi acionado e, com uma excelente visão de jogo, tocou de primeira e deixou o camisa 9 do Santos frente a frente com Penny. Borges bateu no canto esquerdo do goleiro para anotar o seu primeiro gol na Libertadores 2012.

Com o placar favorável e a partida controlada, o Peixe passou a administrar a vantagem construída e, em contra-ataques, teve boas oportunidades para fazer uma goleada. A melhor delas foi aos 41, quando Neymar gingou para cima de Quina e acertou o travessão de Penny.

Além disso, o Juan Aurich ficou nervoso com o toque de bola santista e, por diversas vezes, seus jogadores de defesa abusavam da força em algumas divididas, gerando reclamações do técnico Muricy Ramalho.

O placar, entretanto, permaneceu inalterado até o apito final do árbitro, em um resultado importante para a sequência dos alvinegros na competição.