Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

De olho na aposentadoria, Assunção indica novos líderes do elenco

Por Da Redação - 23 maio 2012, 05h02

O volante Marcos Assunção ainda não desistiu da ideia de se aposentar no fim do ano, apesar de já ter admitido a chance de repensar seu futuro em dezembro. Diante da indefinição de seu destino, o meio-campista já até indica possíveis candidatos para sucedê-lo como líderes do elenco do Palmeiras.

‘Isso vem com os anos e a experiência. Só eu estou acima de 30 anos no elenco, os demais são todos garotos. Eu aprendi com muita gente, da mesma forma que o Marcos aprendeu aqui. Mas, devido ao número de jogos, outros jogadores também podem liderar, como Maurício Ramos, Henrique, Bruno e Deola, até porque daqui a pouco estou parando’, afirmou.Dono da braçadeira de capitão do Palmeiras, aos 35 anos, Marcos Assunção é atleta de confiança do técnico Luiz Felipe Scolari, por orientar a equipe em campo. O volante explica que todos precisam se cobrar durante os jogos, já que é difícil de escutar as orientações do treinador durante as partidas.

‘Quando alguma coisa está errada em campo, tem de ter alguém para conversar e voltar ao normal, porque não dá para ouvir o treinador’, justificou. Apesar de o técnico ser apontado como um especialista em mata-mata, o volante avisa que a responsabilidade maior é dos jogadores nesta Copa do Brasil.

‘A diferença pode ser feita pelos jogadores, porque o Felipão é importante só até começar o jogo. Quando inicia, nós é que vamos jogar e temos de resolver. Ele pode mudar uma coisinha ou outra, mas nós temos que desempenhar. Sabemos de toda experiência do Felipão, mas eu e os mais jovens temos de querer ganhar’, concluiu.

Publicidade

O Palmeiras tem jogo decisivo nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), contra o Atlético-PR, pelas quartas de final da Copa do Brasil. Como empatou em Curitiba por 2 a 2, o Verdão tem a vantagem de se classificar com empates por 0 a 0 e 1 a 1.

Publicidade