Clique e assine com até 92% de desconto

Danilo Fernandes diz não temer pressão no Corinthians

Por Da Redação 6 ago 2011, 12h09

Por Fábio Hecico

São Paulo – Danilo Fernandes esperou três anos para estrear na equipe profissional do Corinthians. A chance chegou para o duelo deste domingo, diante do Atlético-PR, em Curitiba. A fogueira de atuar pela primeira vez, ainda mais no alçapão da Arena da Baixada, não assusta o goleiro.

“Não se pode ter receio, é ir lá e jogar”, afirmou. “Minha expectativa é a melhor possível. Trabalho há três anos no profissional, minha chance chegou agora. Não tem segredo, tenho o apoio de todos e é ser o mais simples possível”, garantiu, num discurso sereno em que transmitiu a calma que faltou ao companheiro Renan, barrado por Tite.

Encarar um adversário na zona de rebaixamento, mas que vem de duas vitórias, em recuperação, no seu estádio, parece não ser problema para Danilo Fernandes. Acostumado com as cobranças no Corinthians, onde está desde 1996, quando atuava no futsal do clube, com apenas oito anos, ele garante tirar a pressão de letra a ponto de jurar que não é uma estreia de alto risco.

“É a estreia que todos sonham ter. Nosso time está empolgado, o deles bem, mas estou preparado e não tem de escolher jogo”, disse. “Sempre sonhei em ter uma oportunidade para mostrar meu trabalho. Agora vou mostrar e tem tudo para dar certo. Se Deus quiser vamos sair com a vitória de lá.”

Prestes a se formar em Administração, Danilo Fernandes jura conciliar as duas funções e, com a chance, já admite deixar o terno e gravata de lado para tentar se efetivar com o uniforme de titular do Corinthians. Fã confesso de Ronaldo, que também saiu da base do clube para ser um dos ídolos da torcida, ele espera apresentar algo bom para tentar desbancar Júlio César.

“Quero fechar o gol e a titularidade virá com o trabalho. Agora, sei que a vaga é do Júlio (César). Ele vinha realizando uma grande competição até se machucar. Mas tenho de aproveitar minha oportunidade para mostrar que também tenho chance de brigar pela vaga.”

Continua após a publicidade
Publicidade