Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Daniel Alves: Senti que Barcelona não confiava em mim

Lateral reclama da falta de apoio do clube. E diz que vai recuperar a confiança de todos

O lateral-direito do Barcelona Daniel Alves está incomodado com o fato do clube não ter desmentido a intenção de vendê-lo nesta temporada. E tem agora uma missão: dar uma resposta aos que duvidam de seu rendimento.

“É certo que houve bastantes rumores de que possivelmente eu não continuaria e evidentemente me incomodou que o clube não me defendesse”, explicou o atleta. Para ele, como não houve desmentido, a sensação foi de que o clube já não confiava mais nele.

Leia também:

Leia também: Em entrevista, Daniel Alves contra qual é o segredo do Barcelona

Agora, o lateral acredita que sua missão é recuperar a confiança dos que acham que seu melhor momento no Barcelona já passou. E para fazer isso, sua receita é trabalho, que é como ele diz ter conquistado o respeito de todos durante sua carreira. Quem confia plenamente nele é o técnico Tito Vilanova, que foi encarregado de dissipar uma possível venda ao ressaltar na sua apresentação como novo treinador que Daniel Alves era intransferível.

Até então, havia muitas dúvidas sobre seu futuro, alimentadas por uma polêmica participação em uma partida exibição em plena recuperação de uma lesão na clavícula. “Não acho que foi imprudente porque era uma partida beneficente e todos que estavam ali sabiam que eu estava me recuperando. Além disso, me encontrava muito bem, embora o clube não tivesse essa informação, e por isso não houve nenhum tipo de risco”, explicou.

Leia também:

Leia também: Daniel Alves e Marcelo, os parceiros de Messi e Ronaldo

O lateral assegurou que segue “igualmente ambicioso e com as mesmas vontades” de quando começou no clube, há quatro anos. “Se um dia tiver que ir do Barcelona não gostaria de ir com essa sensação de que a equipe não conseguiu os objetivos e se voltou contra Dani. O dia que for quero que seja com a sensação de que passei por aqui e deixei uma marca”.

(Com agência EFE)