Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cruzeiro vence o Náutico e mantém tabu

Time pernambucano nunca ganhou do Cruzeiro em Belo Horizonte

Por Da Redação - 2 Sep 2012, 20h46

Cruzeiro e Náutico fizeram um jogo morno neste domingo, no Estádio Independência. O time pernambucano chegou a ser melhor do que a Raposa em alguns momentos do jogo, mas faltou capricho na conclusão das jogadas. Com isso, o time celeste foi mais eficiente e conseguiu a vitória por 3 a 0, chegando aos 34 pontos. Os gols da partida foram anotados por Borges, Élber e Wellington Paulista.

Confira a classificação atualizada

Com o triunfo, o time celeste passa a ocupar a sexta colocação e segue na briga para conquistar uma vaga no G4 do Brasileiro nas próximas rodadas. O Náutico segue no bloco intermediário com 27 pontos, e não consegue quebrar o tabu de jamais ter vencido a Raposa na história do Brasileiro, atuando em Belo Horizonte.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro terá novo compromisso em casa, enfrentando o Botafogo, na próxima quarta-feira, no estádio Independência. Já o Náutico vai receber o Vasco, no mesmo dia, no estádio dos Aflitos.

Continua após a publicidade

Leia também:

Corinthians vence o líder Atlético Mineiro

Sem Neymar, Santos perde para o Sport

Continua após a publicidade

São Paulo perde e complica Palmeiras

Com dois gols de Forlán, Inter goleira Flamengo

Botafogo vence e deixa Coritiba perto da zona de rebaixamento

Pelo alto, Ponte Preta afunda o Atlético-GO

Continua após a publicidade

O jogo – Mesmo atuando fora de casa, o Timbu não se intimidou, e conseguiu fazer um jogo equilibrado contra o Cruzeiro no primeiro tempo, chegando, inclusive, a ser mais perigoso em alguns momentos. Sentido a falta do craque Montillo, a Raposa teve dificuldades na saída de bola e na criação de jogadas, que esbarrava na boa marcação do Náutico.

Precisando da vitória, o Cruzeiro voltou para etapa complementar mais agressivo, porém, o Timbu também tentou algumas investidas ofensivas, o que garantiu uma pequena melhora no aspecto técnico da partida. Apesar da vontade dos jogadores da equipe mineira, a marcação pernambucana foi mais eficiente que os atacantes da Raposa, que apareceram pouco no jogo.

Procurando alternativas para mudar o panorama da partida, os treinadores resolveram usar o banco de reservas. Alexandre Gallo foi conservador e trocou Araújo por Kim e Lúcio por Rogerinho. Já Celso Roth deixou o time celeste com três atacantes, sacando o volante Charles para a entrada de Wellington Paulista.

De tanto insistir, o Cruzeiro conseguiu chegar ao gol com o atacante Borges, aos 29 minutos. O lateral Everton cobrou falta para dentro da área, a defesa visitante tentou cortar, mas a bola foi direto para a cabeça do goleador cruzeirense que não perdoou.

Continua após a publicidade

Com o gol o Cruzeiro ganhou confiança no jogo, e aos 42, chegou ao segundo tento em contra-ataque rápido, que terminou com finalização de Élber. Ainda houve tempo, para o atacante Wellington Paulista, que entrou no segundo tempo, completar cruzamento de Tinga e fechar o placar e 3 a 0.

(Com Gazeta Press)

Publicidade