Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Cruzeiro supera o Inter e deixa a zona de rebaixamento

Por Da Redação 13 nov 2011, 20h01

Em um jogo bastante movimentado neste domingo, na Arena do Jacaré, o Cruzeiro conseguiu superar o Internacional por 1 a 0, obtendo a reabilitação no Campeonato Brasileiro e deixando a zona de rebaixamento. Com o resultado, a Raposa chega aos 37 pontos e ultrapassa o Ceará na classificação, enquanto o Colorado fica mais longe da Libertadores e perde posições na tabela. O gol solitário do jogo foi anotado pelo argentino Farías.

Os dois times entraram em campo desfalcados dos principais jogadores. Na Raposa, o argentino Montillo não participou do jogo, devido a uma lesão muscular. No Colorado, Dorival Júnior não contou com Leandro Damião, o avante cumpriu suspensão, assim como, os companheiros Kleber e Juan.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro vai visitar o Avaí, em confronto direto para escapar do rebaixamento. O duelo está marcado para a próxima quarta-feira, na Ressacada. Já o Internacional vai receber, o Bahia, também na quarta-feira, no estádio Beira Rio.O jogo – Com objetivos distintos no Campeonato Brasileiro, o duelo entre Cruzeiro e Inter começou de forma aberta, com os dois times buscando o gol e com o equilíbrio prevalecendo nos primeiros minutos. Com o passar do tempo, o Colorado passou a tocar a bola com mais qualidade no meio-campo, irritando a torcida celeste nas arquibancadas da Arena do Jacaré.

Aos 11, o Inter quase marcou com o jovem Oscar, que tentou um belo toque por cobertura, na saída do goleiro Fábio, mas a bola passou sobre o travessão, levando enorme perigo. Com as equipes encarando o jogo como uma verdadeira final, as divididas mais duras aconteceram com frequência, porém, com os atletas quase sempre visando a bola.

Com dificuldades na ligação da defesa para o ataque, o Cruzeiro sentiu muito a ausência do argentino Montillo, que foi substituído por Roger, que não conseguiu desempenhar a mesma função dentro de campo. Com isso, o Colorado passou ter mais volume de jogo, mas não marcou quando teve oportunidade, e foi castigado um minuto depois de perder ótima chance com Gilberto.

Aos 19, no momento que o time gaúcho era melhor no jogo, o lateral Diego Renan cruzou com perfeição para área, e o atacante Farías testou para o fundo das redes, para inaugurar o placar. Após o gol da Raposa, o jogo ficou ainda mais aberto, com chances para os dois times. Aos 22, Tinga desperdiçou mais uma oportunidade para os gaúchos, enquanto Diego Renan, aos 24, errou o alvo em bom chute da entrada da área.

Continua após a publicidade

Aos 28, o Inter chegou com facilidade, e Tinga tentou deslocar Fábio com um toque de classe, mas o goleiro mandou para escanteio. Aos 31, o avante Wellington Paulista, que estava apagado no jogo, apareceu em grande estilo, e em um arremate colocado quase ampliou o marcador, porém, Muriel se esticou todo para fazer a defesa.

Sem se abater com o placar adverso, o Inter dominou os minutos finais do primeiro tempo, e teve várias chances de empatar a partida, mas o goleiro Fábio e a pontaria descalibrada dos atacantes do Colorado impediram o tento da igualdade. Aos 41, Tinga levou imenso perigo em chute cruzado, que assustou os cruzeirenses, na última investida dos primeiros 45 minutos.

Na volta para etapa complementar, o Cruzeiro voltou mais agressivo, valorizando a posse de bola no campo de ataque, impedindo assim, a pressão dos visitantes. Aos cinco minutos, a vida do time mineiro foi facilitada depois que o volante Elton interceptou uma bola com mão e levou o segundo cartão amarelo, sendo expulso do jogo.

Mesmo em desvantagem numérica, o Inter partiu para cima do Cruzeiro, e aos 14, Nei perdeu um gol incrível, acertando o travessão de Fábio, debaixo do gol. No minuto seguinte, a resposta da Raposa veio no mesmo nível, com o argentino Farías desperdiçando um gol feito.

A partir dos 25 minutos, o Cruzeiro procurou diminuir o ritmo do jogo, tocando a bola de forma lenta no meio-campo. Precisando da vitória, Dorival Júnior mandou para o campo João Paulo e Zé Roberto, em busca pelo menos da igualdade. No duelo tático, Vágner Mancini sacou Roger para a entrada do zagueiro Naldo e conseguiu manter o resultado até o apito final.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade