Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cruzeiro pode começar Série B com 6 pontos a menos e longe do Mineirão

Possíveis punições da Fifa e do STJD podem complicar ainda mais a situação do clube mineiro

Por Da redação - Atualizado em 10 dez 2019, 13h24 - Publicado em 9 dez 2019, 14h09

Não bastasse a tristeza de ser rebaixado pela primeira vez em sua história e de acumular dívida de cerca de 700 milhões de reais, o Cruzeiro pode ter novos problemas durante a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro em 2020. O clube mineiro corre o risco de começar a competição com seis pontos a menos e de ter de atuar fora do Mineirão.

A possível perda de pontos se refere a irregularidades na compra do atacante Willian, atualmente no Palmeiras, junto ao Zorya, da Ucrânia, em 2014. O clube europeu acusa o Cruzeiro de não ter depositado 1,5 milhão de euros e levou o caso à Fifa. A entidade que rege o futebol mundial enviou à CBF uma punição de seis pontos no Brasileirão ao Cruzeiro, mas um recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS) adiou o julgamento do caso para 2020.

O caso é complexo, pois Willian na verdade atuava pelo Metalist, clube ucraniano que teve falência decretada. Os direitos do atacante, então, passaram ao Zorya, que herdou a massa falida do Metalist. O Cruzeiro suspendeu o pagamento, alegando que sua dívida era com o clube falido. A Fifa, no entanto, determinou o pagamento, que deve ser realizado até o meio do ano que vem.

Além disso, o Cruzeiro ainda carrega uma perda de mando de campo devido a uma confusão no clássico contra o Atlético Mineiro, que o clube também conseguiu adiar para o próximo ano. A situação deve piorar, pois na partida que sacramentou o rebaixamento, a derrota para o Palmeiras neste domingo 8, houve novos confrontos entre torcedores e policiais e depredação do Mineirão. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) costuma punir episódios desta natureza.

Publicidade