Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cruzeiro derrota o Bahia, mas não apaga má impressão

Vitória fora de casa com gol de Montillo leva o time mineiro aos 26 pontos e reabilita a equipe na tentativa de se aproximar do G4

Após sofrer duras críticas do técnico Celso Roth ao ser derrotado por 4 a 2 pelo Santos, o Cruzeiro visitou o Bahia e se reabilitou com uma vitória por 1 a 0 neste sábado. O único gol do jogo foi marcado logo aos oito minutos do primeiro tempo por Montillo.

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM: Argentinos marcam e Santos empata com Atlético-GO

Figueirense encerra jejum, vence o Sport e deixa lanterna

Vagner Love faz dois e dá vitória ao Flamengo sobre o Náutico

Com diversas mudanças em relação ao time que foi derrotado pelo Santos, a Raposa não chegou a apresentar um futebol vistoso e, após abrir o placar ainda no início do jogo e ter chances para ampliar na primeira etapa, abdicou da posse de bola no segundo tempo e apostou no contra-ataque. O Tricolor de Aço, porém, não apresentou criatividade suficiente para transformar o maior tempod e bola em perigo real, insistindo exageradamente em bolas levantadas na área.

Destaque do Cruzeiro na fase recente da equipe com quatro gols marcados nos três últimos jogos, o atacante Borges teve atuação decepcionante, perdendo uma grande oportunidade sozinho na área e sendo substituído no intervalo por opção técnica de Celso Roth.

A vitória leva o time mineiro aos 26 pontos e reabilita a equipe na tentativa de se aproximar do G4. Já a equipe baiana continua com 13 pontos e, com a vitória do Atlético-GO sobre o Santos, cai para a penúltima posição do Campeonato Brasileiro.

O jogo – O Bahia levou perigo logo no início do jogo, aos dois minutos, com Gabriel deixando Rafael livre na área com passe em profundidade, mas Fábio saiu bem do gol para impedir a finalização do jovem atacante.

Apesar dessa oportunidade, quem abriria o placar seria o Cruzeiro: aos oito minutos, Ceará cruzou pela direita. Danny Morais rebateu na área, mas a bola sobrou para Montillo bater cruzado e balançar as redes.

Aos 18, Lucas Silva quase ampliou a vantagem com uma bomba da intermediária que passou com perigo à direita do gol de Marcelo Lomba. Dois minutos depois, foi a vez de Borges levar perigo com chute de longa distância que, dessa vez, passou por cima do gol.

O ex-São Paulo, Grêmio e Santos teria uma chance muito mais fácil para marcar aos 35 minutos, mas perderia de maneira bizarra: Montillo puxou contra-ataque pela esquerda e cruzou para Borges que, sozinho na área, pegou mal e desviou para fora.

O Tricolor de Aço voltou do intervalo mostrando o mesmo estilo de jogo da primeira etapa após o gol sofrido. A equipe abusava dos cruzamentos, apesar das diversas tentativas do primeiro tempo não terem gerado nenhuma oportunidade de gol.

Aos 13 minutos, Marcelo Oliveira chegou perto de marcar sem querer ao tentar cruzar a bola pela esquerda, ver o levantamento se tornar finalização e quase surpreender o goleiro Marcelo Lomba. A bola terminou em cima do gol, próxima ao travessão.

O Bahia era superior na segunda etapa, mas mostrava dificuldades para invadir a área adversária. Gabriel, um dos jogadores mais participativos da equipe, optou pela jogada individual para tentar levar perigo aos 34, quando foi lançado pela direita e invadiu a área em diagonal para bater de canhota por cima do gol.

(Com agência GazetaPress)