Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cruzeiro cai na Libertadores e confirma fiasco brasileiro

Equipe de Marcelo Oliveira empatou em 1 a 1 com o San Lorenzo no Mineirão e deu adeus ao torneio. Eliminação decreta a pior participação do país desde 91

Depois dos títulos consecutivos nos últimos quatro anos – com Internacional, Santos, Corinthians e Atlético-MG -, o futebol brasileiro não terá representante nas fases decisivas da edição 2014 da Libertadores

Pela primeira vez em 23 anos o Brasil não terá representantes entre os quatro melhores times da Copa Libertadores. Última equipe do país na competição, o Cruzeiro ficou apenas no empate em 1 a 1 com o San Lorenzo no Mineirão e está eliminado do torneio. No primeiro jogo das quartas de final, os mineiros haviam sido derrotados por 1 a 0 na Argentina. Antes da decepção cruzeirense, Grêmio, Atlético-MG, Atlético-PR, Botafogo e Flamengo já haviam dado adeus ao torneio nas fases anteriores. Depois de quatro títulos e nove finais seguidas, o futebol brasileiro está fora das semifinais da Libertadores, algo que não acontecia desde 1991 – só que naquela época o país contava com apenas duas vagas na competição.

Leia também: San Lorenzo derrota Cruzeiro no primeiro jogo das quartas

O jogo – O drama do Cruzeiro começou cedo no Mineirão. Logo aos 9 minutos, Piatti recebeu na área, cortou o marcador e chutou forte para abrir o placar. O gol do San Lorenzo obrigava o time brasileiro a marcar três vezes para se classificar. Apesar da força dos 40 mil torcedores presentes, o Cruzeiro só conseguiu reagir no segundo tempo. Primeiro, William mandou para as redes, mas a arbitragem assinalou impedimento. A pressão aumentava e a torcida acompanhava o crescimento do time. Marcelo Moreno, aos 19, e Dedé, aos 20, tiveram ótima oportunidade, mas pararam na defesa do goleiro Torrico. Aos 25, Bruno Rodrigo não desperdiçou e cabeceou para as redes, empatando o jogo.

A empolgação do Cruzeiro cresceu ainda mais depois da expulsão do meia Romagnoli, que deu um tapa em um jogador do time brasileiro. Mas o momento positivo não foi convertido em gols. Na base do desespero, a equipe mineira atacava sem organização e abusava dos cruzamentos. E o San Lorenzo, acuado, se segurava na defesa até assegurar o empate e a classificação para as semifinais – para a alegria da torcida argentina e do papa Francisco.

Agora, o San Lorenzo enfrenta o vencedor do duelo entre o argentino Lanus e o boliviano Bolívar. Na outra semifinal, o já classificado Nacional do Paraguai aguarda a definição do confronto entre Defensor, do Uruguai, e Nacional de Medellín.

(Com Estadão Conteúdo)