Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Cruzeirenses lamentam revés e minimizam falha do goleiro Fábio

<p>O Cruzeiro não conseguiu repetir a mesma atuação do jogo contra o Palmeiras e acabou derrotado no Independência para a Ponte Preta por 2 a 1, resultado que deixou a Raposa longe do G4. Os jogadores da equipe celeste lamentaram o revés, e o atacante Borges chegou a dizer que faltou um pouco de sorte, […]</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 22h44 - Publicado em 5 ago 2012, 21h03

O Cruzeiro não conseguiu repetir a mesma atuação do jogo contra o Palmeiras e acabou derrotado no Independência para a Ponte Preta por 2 a 1, resultado que deixou a Raposa longe do G4. Os jogadores da equipe celeste lamentaram o revés, e o atacante Borges chegou a dizer que faltou um pouco de sorte, mas admitiu que o time ficou desorganizado em alguns momentos da partida.

‘Acabamos perdendo a partida, em um jogo que era de fundamental importância para a gente chegar próximos dos próximos colocados. Infelizmente acabamos tomando dois gols, faltou um pouquinho de sorte na bola na trave que não entrou, mas infelizmente a vitória não saiu. Estávamos um pouco desorganizados, depois acertou, fez o gol, mas o segundo gol deles dificultou’, declarou.O armador Walter Montillo acredita que os gols da Macaca surgiram em uma hora errada para o Cruzeiro. O jogador argumentou que o time celeste estava bem até o momento do primeiro tento, mas bobeou e sofreu o segundo gol no começo da etapa complementar, que na visão do argentino dificultou a vida da Raposa já que a Ponte Preta recuou as linhas de marcação.

‘Tomamos dois gols na hora errada. No primeiro tempo estávamos jogando bem e em uma bobeira nossa veio o gol deles, empatamos o jogo, depois tomamos o segundo muito rápido, e eles se fecham muito bem lá atrás e é difícil entrar. Mas temos que continuar trabalhando, porque na quarta-feira temos um jogo difícil’, disse.

O volante Leandro Guerreiro minimizou a falha do goleiro Fábio no segundo gol da Ponte Preta, afirmando que o grupo é unido e que o erro foi de toda a equipe. ‘O Fábio nunca é culpado. Ele sempre salva a gente, e temos que dar sequência no trabalho, porque aqui é um grupo, quando um falha todo mundo falha. Nosso grupo é forte e agora é o momento de um dar força para o outro’, comentou.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade