Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Criticado por ex-capitão, Zwetsch rebate: faço o possivel por melhor time

Por Da Redação
13 set 2011, 08h06

O técnico Francisco Costa, ex-capitão do Brasil na Copa Davis, criticou a convocação de João Zwetsch para o confronto com a Rússia, pelos playoffs do Grupo Mundial. Questionado sobre o assunto pela GE.Net, o atual comandante rebateu o antecessor no cargo.

‘Na minha cabeça, o que importa é sempre fazer tudo o possível para que tenhamos a melhor equipe no confronto. Na minha concepção, essa é a obrigação maior de um capitão: não privar o país da melhor formação possível’, declarou Zwetsch, que chamou Thomaz Bellucci, Ricardo Mello, Marcelo Melo e Bruno Soares.

Em seu blog, Chico Costa falou sobre a convocação em um post intitulado ‘Renovação Zero’. ‘Tenho que dizer que não gostei da convocação, e por um motivo bem simples: esse time fracassou na Índia no ano passado, de forma melancólica. Ou seja, a necessidade de renovação segue sendo negligenciada – já passou da hora de colocar o Feijão Souza para jogar’, escreveu.

Chico Costa foi capitão do Brasil entre 2007 e 2009, período no qual chegou a trabalhar com Zwetsch. Em sua gestão, o time nacional caiu nos playoffs de forma sucessiva diante de Áustria, Croácia e Equador. No perfil do blog que mantém, o técnico destaca as oportunidades que deu a Thomaz Bellucci e Marcelo Melo.

João Zwetsch foi efetivado como capitão no ano passado. Em sua primeira chance de disputar o playoff do Grupo Mundial, caiu diante da Índia com o mesmo time escalado para o duelo com os russos. Prestes a tentar conduzir o Brasil ao Grupo Mundial novamente, o comandante minimizou as críticas de seu antecessor.’É a opinião dele e respeito as opiniões de todas as pessoas. Conheço a opinião do Chico sobre o confronto com a Índia, sobre a convocação. Devem ter outras pessoas com a mesma opinião. Vejo isso com tranqüilidade e sei que as opiniões divergem sobre os assuntos. É uma coisa normal dentro da nossa vida’, afirmou.

Continua após a publicidade

Ainda assim, Zwetsch tratou de defender sua posição. ‘Se a mesma equipe fracassou ou não anteriormente, não é uma questão tão relevante e às vezes pode ser até uma coisa motivante, um trunfo que esse time pode ter para superar dessa vez’, afirmou o capitão.

Atualmente, João Zwetsch e Chico Costa têm pouco contato, já que ambos moram em cidades diferentes e o segundo direcionou seu foco para o tênis juvenil, enquanto o primeiro permaneceu voltado aos profissionais. Os dois se encontraram recentemente em Campos do Jordão.

O Brasil enfrenta a Rússia no piso duro da cidade de Kazan entre os dias 16 e 18 de setembro. Pelo sexto ano seguido, desta vez em um confronto indoor, o Brasil tenta voltar ao Grupo Mundial contra Mikhail Youzhny, Dmitry Tursunov, Igor Kunitsyn e Igor Andreev.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.