Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cristiano se vê como melhor do mundo – e não só em 2013

Aclamado por uma temporada espetacular, craque diz que seu nível é sempre 'muito alto'. Ele negou, porém, estar ansioso para receber outra Bola de Ouro

“Eu não penso muito sobre a Bola de Ouro. Sei que a entrega será em janeiro, mas não posso dizer se estarei lá. Não sou obcecado pelo prêmio”, diz o português

Cristiano Ronaldo vive o melhor momento de sua carreira. Artilheiro do Campeonato Espanhol com dezesseis gols em treze jogos, o craque foi o herói da classificação de Portugal à Copa do Mundo de 2014 e vem quebrando vários recordes no Real Madrid. Passou a ser apontado como o grande favorito à conquista da Bola de Ouro da Fifa, entregue ao melhor jogador do mundo na temporada, numa cerimônia marcada para janeiro. Para o português, que neste ano já disse que ser humilde demais não é virtude, não é só neste ano que o prêmio deveria ficar nas suas mãos. Ao ser questionado sobre se enxergava como o melhor jogador do mundo na atualidade, Ronaldo afirmou, nesta sexta-feira, ao ser entrevistado por uma rádio espanhola: “Penso que não só neste ano. Tive de mostrar um nível muito alto nas últimas temporadas. Não é uma coincidência. Desde que cheguei ao Real Madrid, sempre precisei demonstrar às pessoas que estava presente. Mas, como eu já disse diversas vezes, não posso agradar a todos.”

Leia também:

Em alta, Ronaldo ganha fôlego na briga pela Bola de Ouro

Cristiano Ronaldo faz três em Estocolmo e elimina a Suécia

Ibra, sem modéstia, acha que Copa não tem graça sem ele

Ronaldo: ‘Adoraria Messi ou Cristiano Ronaldo na seleção’

Cristiano foi eleito o melhor jogador do planeta em 2008, ano em que disputou sua última temporada pelo Manchester United. Após ser contratado pelo Real Madrid com a Bola de Ouro na bagagem, o português não só não conquistou outro prêmio como também viu o troféu ser entregue por quatro vezes consecutivas a Lionel Messi, ídolo do arquirrival Barcelona. Em todas as ocasiões, o desapontamento de Ronaldo ficou claro. Em 2013, no entanto, a história tem tudo para ser diferente. O argentino pouco tem entrado em campo, resultado de uma sequência de lesões musculares na coxa, enquanto o português vive uma das melhores fases de sua carreira. Recentemente, superou a marca de 400 gols na carreira, além de ter liderado, com quatro gols em duas partidas, a classificação da seleção portuguesa à Copa. Mesmo com esse favoritismo cada vez mais acentuado, ele não se disse ansioso pela festa de gala do começo do ano que vem – não sabe, aliás, se participará da cerimônia.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

“A idade e a experiência talvez me façam ver as coisas de outra forma. Talvez agora eu pense diferente de quatro anos atrás e já não cometa alguns erros. Isso faz parte da minha evolução. Eu não penso muito sobre a Bola de Ouro. Sei que a entrega será em janeiro, mas não posso dizer se estarei lá. Prefiro não dizer nada, porque as coisas não dependem só de mim. Não sou obcecado pela Bola de Ouro.” Há algumas semanas, Ronaldo mostrou ter ficado incomodado com uma brincadeira feita pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, que o retratou como um “vaidoso comandante”. Na mesma entrevista, em que Cristiano recebeu as perguntas de crianças com leucemia, Ronaldo negou as especulações sobre um possível retorno ao Manchester United e declarou que pretende encerrar a carreira no Real. “Sou uma pessoa 100% feliz. Quero ficar por muitos outros anos e terminar meu contrato aqui, porque depois do Real não há clube maior. Não penso muito no futuro. Quando o presente está bom, o futuro te preocupa menos. Mas, neste momento, sinto que quero encerrar aqui.”

(Com agência Gazeta Press)