Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cristiano Ronaldo treina sozinho, mas deve disputar a final

Com o craque ainda em recuperação, Real Madrid planeja proteger e poupar o português até a viagem a Lisboa: 'Não estou 100% pronto, mas me sinto bem'

Por Giancarlo Lepiani, de Madri - 20 Maio 2014, 09h15

“É meu primeiro dia de volta ao gramado e me sinto muito bem. Ainda não estou 100%, mas espero estar melhor até sábado. Jogamos muitas vezes nesta temporada e é normal que o corpo às vezes responda de forma negativa. É até um efeito psicológico: às vezes, uma dorzinha faz você pensar que pode ser algo mais grave”

Mais de 300 jornalistas vindos de cerca de 50 países foram ao centro de treinamentos do Real Madrid, na região de Valdebebas, próximo do Aeroporto de Barajas, nesta terça-feira – e todas as câmeras estavam apontadas para uma faixa estreita do gramado, distante de onde os atletas da equipe faziam suas atividades físicas. Naquele canto do campo, Cristiano Ronaldo, o maior artilheiro de uma só edição da Liga dos Campeões, se exercitava de forma vagarosa e tranquila, sempre acompanhado por um integrante da comissão técnica, em meio à sua preparação para disputar a final do torneio, no sábado, em Lisboa, contra o Atlético de Madri. O craque português não está 100% pronto para o jogo – longe disso, aliás. Ainda assim, poucos acreditam que o astro não subirá ao gramado do Estádio da Luz no fim de semana, mesmo que não esteja totalmente recuperado de seus problemas físicos. O Real, que não quer correr nenhum risco com Cristiano, deverá poupá-lo de todos os treinos até a viagem a Portugal, marcada para quinta-feira. A partir daí, ele deverá se juntar ao grupo e participar dos ensaios finais para o jogo. “Estou bem e muito contente”, afirmou ao deixar o campo.

Leia também:

Atlético de Madri já ‘apaga’ título para triunfar contra o Real

Em VEJA: Cristiano Ronaldo, o mais temido da Copa-2014

Espanha está eufórica com decisão entre os rivais de Madri

Apesar de Ronaldo ter aparecido no treino desta terça, sua movimentação – corridas curtas, em baixa velocidade, e alguns deslocamentos laterais, também em marcha lenta – pode ser vista com preocupação pelos torcedores do Real. Para quem está acostumado a treinar sempre com intensidade máxima (o técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, costuma repetir que nunca viu um atleta tão dedicado quanto o português), sua participação nos preparativos para a grande final não parece uma garantia de escalação no jogo mais esperado pelo clube em mais de uma década. Acredita-se, porém, que o craque tem sido poupado mais por precaução do que pela necessidade de se recuperar de alguma lesão específica. Na reta final de uma temporada em que brilhou intensamente, desbancando Lionel Messi e reconquistando o status de melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo sofre de fadiga muscular e tem sido mantido fora das atividades normais para não forçar demais o ritmo e evitar uma nova contusão. Para deixar o técnico Carlo Ancelotti ainda mais preocupado, Gareth Bale, Pepe e Karim Benzema não participaram do treino desta terça. O brasileiro naturalizado português e o francês são os que mais preocupam.

“É meu primeiro dia de volta ao gramado e me sinto muito bem”, disse o português na saída do treino. “Ainda não estou 100%, mas espero estar melhor até sábado. Jogamos muitas vezes nesta temporada e é normal que o corpo às vezes responda de forma negativa. Infelizmente tive alguns pequenos problemas, mas isso é normal.” Cristiano admitiu que ficou preocupado com o risco de perder a finalíssima ao pedir para ser substituído na partida contra o Valladolid, pelo Campeonato Espanhol. “Tive uma sensação ruim. É até um efeito psicológico: às vezes, uma dorzinha faz você pensar que pode ser algo mais grave. Não estava confiante e achei que era melhor pedir para sair.” O português se disse muito ansioso para voltar ao seu país e disputar a decisão, sua primeira no torneio com o Real (foi campeão da Liga dos Campeões pelo Manchester United, em 2008, além de ter sido vice em 2009). “Trabalhamos o ano todo para chegar a esse jogo. Espero que estejamos bem, com a torcida do nosso lado, e que os portugueses apoiem a mim, Pepe e Coentrão. O Real merece esse título.” Antes de ir para os vestiários, Cristiano, confirmado na lista de convocados de Portugal na segunda, tratou de afastar qualquer risco de ter sua participação na Copa do Mundo comprometida por causa das recentes ausências em partidas importantes: “Não há risco para o Brasil”.

Continua após a publicidade

https://youtube.com/watch?v=9MGu5sPHEJI%3Frel%3D0

2013: Bayern

Depois de perder duas decisões em três anos – uma delas, em seu próprio estádio -, o Bayern não deixou passar a terceira oportunidade de levantar a taça. Em um clássico alemão, a equipe de Munique derrotou o Borussia por 2 a 1 no Estádio de Wembley.

2012: Chelsea

A equipe londrina surpreendeu e conquistou seu primeiro título contra o Bayern de Munique, na casa do adversário, a Allianz Arena. Didier Drogba foi o grande destaque da final, que foi decidida nos pênaltis depois de empate por 1 a 1 no tempo normal.

2011: Barcelona

Com Messi inspirado e com Pep Guardiola como técnico, o Barça foi campeão no Estádio de Wembley, em Londres, fazendo 3 a 1 no Manchester United. O jogo é considerado uma das melhores da fase de ouro da equipe catalã sob o comando de Guardiola.

2010: Internazionale

Continua após a publicidade

O argentino Milito foi o destaque na vitória da equipe italiana sobre o Bayern, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri – fez os dois gols na vitória por 2 a 0 e deu à Inter de Milão um título que não conquistava desde a década de 1960. Mourinho era o técnico.

2009: Barcelona

Eto’o e Messi marcaram os gols da vitória catalã no Estádio Olímpico de Roma, contra o Manchester United de sir Alex Ferguson e da dupla de ataque formada por Rooney e Cristiano Ronaldo. Foi o terceiro título do torneio continental para o Barça.

2008: Manchester United

Na final entre os ingleses, a equipe de Alex Ferguson levou a melhor sobre o Chelsea, no Estádio Luzhniki, em Moscou. No tempo normal, Cristiano Ronaldo abriu o placar e Lampard empatou. Na cobrança de pênaltis, Anelka perdeu e o United comemorou.

https://youtube.com/watch?v=e5iNzdPlAj4

2007: Milan

Com grandes atuações de Kaká e Inzaghi, a equipe italiana se vingou da derrota para o Liverpool na final de 2005. A decisão disputada no Estádio Olímpico de Atenas foi totalmente dominada pelo Milan, que conquistou seu sétimo título da Liga dos Campeões.

2006: Barcelona

Continua após a publicidade

Com Ronaldinho Gaúcho em grande fase, o Barça era favorito contra o Arsenal no Stade de France, em Paris. Os ingleses saíram na frente com Campbell, mas os catalães viraram com gols de Eto’o e do brasileiro Belletti. Foi o bicampeonato do Barcelona.

2005: Liverpool

Uma das maiores surpresas da história do torneio – não pela vitória da equipe inglesa, clube tradicional na competição, mas sim pela recuperação histórica. O Milan vencia por 3 a 0 no intervalo em Istambul. O Liverpool buscou o empate e venceu nos pênaltis.

2004: Porto

Carlos Alberto e Deco estavam entre os destaques da jovem equipe do Porto treinada por um então desconhecido, José Mourinho. Do outro lado estava outra zebra, o Monaco. A final, disputada em Gelsenkirchen, terminou com vitória dos portugueses, 3 a 0.

https://youtube.com/watch?v=9y7zKOKJGzk

2003: Milan

A final entre dois italianos no estádio Old Trafford, em Manchester, foi marcada pelo enorme equilíbrio. Milan e Juventus ficaram no 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. Na disputa por pênaltis, Dida defendeu três cobranças e Shevchenko selou a vitória do Milan.

https://youtube.com/watch?v=OLh6lGlXC3A%3Frel%3D0

2000: Real Madrid x Valencia

Continua após a publicidade

https://youtube.com/watch?v=jjYPOj2hros%3Frel%3D0

2003: Milan x Juventus

https://youtube.com/watch?v=jGJ62A2_CTQ%3Frel%3D0

2008: Manchester United x Chelsea

Publicidade