Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cristiane se torna maior artilheira das Olimpíadas

A atacante brasileira Cristiane tornou-se a maior artilheira da história do torneio de futebol feminino dos Jogos Olímpicos, com 11 gols marcados, ao balançar a rede na goleada de 5 a 0 sobre Camarões, na estreia da equipe, nesta quarta-feira, em Cardiff.

“Foi um grande orgulho para mim o fato de alcançar este feito, mas a primeira coisa que passou pela minha cabeça foram as quatro semanas difíceis pelas quais tive que passar para me recuperar de uma lesão. Por pouco não perdi o torneio”, declarou a atacante.

Cristiane, de 27 anos, vestiu a camisa da seleção brasileira pela primeira vez em 2003 e anotou cinco gols em seis partidas em Atenas-2008 e mais cinco em Pequim-2008, sendo que o Brasil ficou com a medalha de prata nestas duas edições.

Nesta quarta-feira, a atacante teve ainda mais mérito de balançar as redes, já que começou no banco de reservas e entrou em campo apenas depois do intervalo, no lugar da jovem Thais Guedes, de apenas 19 anos.

“Acho que entre eu a Thaizinha tem uma briga sadia. Ela está buscando seu espaço, eu fiquei um tempo lesionada, sem ritmo de jogo. Consegui jogar muito bem no segundo tempo, mas agora preciso me firmar e dar tudo de mim no treino”, comentou Cristiane.

A atacante, que chegou à zona mista carregando um rebolo, instrumento de percussão usado no tradicional pagode das jogadoras no vestiário depois das vitórias, também elogiou sua companheira de equipe Marta, grande craque da seleção, autora de dois dos cinco gols do Brasil.

Cristiane fez o gol do recorde, o quarto da partida, aos 35 do segundo tempo, depois de um passe de Marta e retribuiu o presente ao deixá-la em ótimas condições para fechar a goleada aos 43.

“O pessoal falou que ‘a dupla voltou’. Na verdade a gente se conhece há muito tempo e temos essa facilidade de jogar uma com a outra. Não precisa nem falar onde a outra tem que se posicionar”, comentou Cristiane.

Marta também ressaltou que o entrosamento entre as duas fez a diferença.

“Me dou super bem com Cris, às vezes só no olhar dá para sentir o que a outra está pensando e aonde vai correr. Hoje realmente funcionou, em dois lances a gente conseguiu fazer os gols”, completou Marta, que foi eleita cinco vezes melhor jogadora do mundo, de 2006 a 2010, enquanto Cristiane foi terceira colocada da premiação em 2007 e 2008 e segunda em 2009.