Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Costa Rica vence a Itália por 1 a 0 e elimina a Inglaterra

Surpreendente seleção costa-riquenha garante vaga no grupo da morte com uma rodada de antecedência

Apontado como mais fraco time do grupo com três campeãs mundiais, a Costa Rica já está nas oitavas

A Costa Rica venceu a Itália por 1 a 0 nesta sexta-feira no calor do Recife e já conquistou um título, o de zebra desta Copa do Mundo. Com uma rodada de antecedência, a seleção garantiu vaga nas oitavas de final no grupo D, eliminando a Inglaterra e forçando Itália e Uruguai a jogarem entre si para decidir quem segue na competição na próxima terça.

A vitória da Costa Rica superou de longe as ambições da equipe antes da Copa – jamais o país havia ganhando duas partidas seguidas na competição. Apontado como mais fraco time do grupo com três campeãs mundiais, a Costa Rica na primeira rodada já havia sido a algoz do Uruguai, superado por 3 a 1.

Leia também:

Uruguai perde para ‘fraca’ Costa Rica e se complica

Em grande clássico, Itália ‘brasileira’ bate a Inglaterra: 2 a 1

O magnetismo de Balotelli, o novo rei da selva

Parte do sucesso da Costa Rica diante da Itália ficou por conta do desgaste físico. Em nova jornada quente – 30 graus na tarde de Pernambuco -, a Itália, cansada pelo desgastante duelo contra a Inglaterra em Manaus, começou devagar. E com Buffon no gol, recuperado de torção no tornozelo.

O outro destaque da Azzurra, o atacante Balotelli, esteve perto do gol em duas ocasiões. A primeira, aos 30 minutos, quando quase marcou um golaço por cobertura. O preciosismo custou caro – um chute mais simples poderia ter aberto o placar. Na sequência, de longe, o artilheiro de novo passou perto.

Testada na defesa, a Costa Rica resolveu atacar, e foi ainda mais eficiente. Aos 42 minutos o atacante Campbell foi empurrado na área por Chiellini, mas o árbitro não marcou pênalti – para revolta total dos costa-riquenhos. O gol da zebra da Copa veio a seguir. Em cruzamento da esquerda, Bryan James cabeceou a bola que bateu no travessão e dentro do gol de Buffon. Rápido, o lance não gerou dúvida na arbitragem auxiliada pelo recurso eletrônico que esclarece dúvidas do tipo. A rivalidade não ficou só no campo. Na descida para o intervalo, os jogadores de ambas as seleções discutiram com rispidez, precisando ser acalmados pelos seus estafes.

O segundo tempo manteve o ritmo do primeiro – lento no começo e com leve iniciativa italiana. Nada, porém, que mudasse o placar da partida que já está na história dos Mundiais. Foi o dia em que a surpresa superou fácil da favorita.

A definição do equilibrado grupo D sairá às 13 horas de terça-feira. Itália e Uruguai jogarão em Natal; no mesmo horário, Costa Rica e Inglaterra se enfrentam em Belo Horizonte.